23 de fevereiro de 2018

El Eterno Silencio


Com uma estrutura não linear e recortes intensos, o drama mexicano "El eterno Silencio" ou "Eterno silêncio" (2017) aborda um tema atual e importante à sociedade. Visceral, a película tem várias narrativas em suas diversidade de câmeras. Há muita tensão e conflito. Incomoda e, ao mesmo tempo, aproxima a audiência. Na narrativa, Sophia só tem 22 anos quando decide ir embora com seu namorado à uma cidade perto da Cidade do México, sem dizer a ninguém. A viagem transcorre bem até que um mal-entendido muda tudo. O drama é rodeado de suspense e circunstâncias estranhas. 

22 de fevereiro de 2018

127 Hours


Com uma história corajosa e de fortes decisões, "127 Hours" ou "127 Horas" é pura tensão. Apesar de ser baseado num plot que tinha tudo para o marasmo, o ritmo do roteiro e a atuação eficaz e verossímel de James Franco prende a audiência do inicio ao final do filme. Além dessas peculiaridades, precisamos ficar atentos para a excelente direção, trilha sonora impactante e uma maravilhosa fotografia. A trama é baseada na história real de como alpinista Aron Ralston lutou para salvar a própria vida após um acidente. Em maio de 2003, Aron (James Franco) fazia mais uma escalada nas montanhas de Utah, Estados Unidos, quando acabou ficando com seu braço preso em uma fenda. Sua luta pela sobrevivência durante mais de cinco dias foi marcada por memórias e momentos de muita tensão. Dirigido por Danny Boyle, o longa conquistou seis indicações ao Oscar. Quem não viu, mais que recomendo!



21 de fevereiro de 2018

Os inquilinos


O drama brasileiríssimo "Os inquilinos"(2009), de Sergio Bianchi, tem uma história concisa e boas interpretações. Os personagens são bem construídos e o roteiro é bem estruturado. Atentem-se para os diálogos, são orgânicos e assertivos. Não podemos deixar de falar no belo trabalho da escolha das locações. Na narrativa, Válter (Marat Descartes) e Iara (Ana Carbatti) moram com os dois filhos, na periferia da cidade de São Paulo. Eles levam a vida normalmente, até a chegada de três rapazes que se tornam seus novos vizinhos. Iara passa a achar que, como eles não trabalham, devem ser bandidos. Pouco se sabe sobre a história do trio, apenas que eles costumam levar mulheres para casa e falam palavrões constantemente. Valter, que trabalha de dia e estuda à noite, pouco se importa com o que eles fazem e quer apenas dormir. Só que a tensão do dia a dia e o barulho que os vizinhos fazem de madrugada atrapalham seu sono. Vale ressaltar que a película foi premiada nos Festival do Rio (Melhor Atriz Coadjuvante para Cássia Kiss e Melhor Roteiro), Festcine Goiânia (Melhor Filme, Melhor Diretor para Sérgio Bianchi e Melhor Roteiro) e no Festival de Cinema Luso-Brasileiro (Melhor Filme, Melhor Ator para Marat Descartes e Melhor Atriz para Ana Carbattie).

20 de fevereiro de 2018

Rebelião - O Coro de Todos os Santos

Foto: Ítalo Iago

O Teatro do Incêndio estreia, no dia 24 de fevereiro, às 20 horas, o espetáculo "Rebelião - O Coro de Todos os Santos" com texto e direção de Marcelo Marcus Fonseca. No enredo, Artura (Gabriela Morato), Cacimba (Elena Vago) e Jí (Francisco Silva) saem do interior do país com o intuito de salvar o Brasil, devolvendo para Portugal símbolos da colonização. Para cumprirem a missão eles enfrentam os terríveis Arranca-línguas, figuras míticas que encontram durante a viagem.

"Rebelião – O Coro de Todos os Santos" é a segunda peça inédita do projeto A Gente Submersa, trabalho de pesquisa do grupo sobre heranças e descaracterização da cultura e da sabedoria popular pelo esquecimento das raízes que moldaram o brasileiro. Trata da manifestação popular como revide contra seu apagamento, como arma de guerra no combate à intolerância religiosa, à infantilização cultural produzida atualmente e às ingenuidades que aceitam lutas separadas e compartimentadas na sociedade moderna.

O diretor desabafa: “Esse é o espetáculo ‘de saco cheio’. Saco cheio de insensibilidade, de em cima do muro, de engolir a pobreza de manifestações sociais, políticas e culturais no país de Jorge Amado, Vinícius de Moraes, Nelson Sargento. Saco cheio de dizer que gostamos do que não gostamos, de dar ibope para o que não queremos, de desprezar a cultura do nosso país em prol de uma manifestação rasa. A indústria do entretenimento cria um mundo falso, de barulho ensurdecedor para destruir nossa identidade”. E finaliza: “Teatro não é entretenimento”.

A temporada vai até o dia 24 de junho, aos sábados (às 20h) e domingos (às 19h). O Teatro do Incêndio fica na Rua Treze de Maio, 48 - Bela Vista - São Paulo.

19 de fevereiro de 2018

Negras Raízes


Com um trabalho de pesquisa impecável, o autor, Alex Haley, emociona, revolta-nos e nos faz rir em seu livro "Negras Raízes". A saga de uma família de origem africana nos EUA é detalhada com requinte, o que muito enobrece as entrelinhas, não só pela composição da escrita, mas, principalmente, através da realização da investigação dos fatos em si. Na sinopse, seu nome era Kunta Kinte. Sequestrado na África e escravizado na América em 1767, ele se recusou a aceitar o seu nome de escravo "Toby". Kunta Kinte manteve sua rebeldia heroica viva, transmitindo sua história ao longo de gerações, até a chegada de um menino crescido no Tennessee. Seu nome, Alex Haley. Através da linhagem de família, Haley e as suas raízes ganham o Prêmio Pulitzer, aliás bem merecido, contando sua história para toda a América e o mundo. Um excelente livro em todos os sentidos. Super recomendo!

16 de fevereiro de 2018

John Carter


A aventura americana, "John Carter" ou "John Carter: Entre dois mundos" (2012) conta com uma excelente construção de mundo, personagens e dilemas. O ritmo da história é de tirar o folego. O roteiro é bem estruturado e, claro, a trama instigante é alicerçada com muita ação. Na narrativa, o soldado americano John Carter (Taylor Kitsch), para a tristeza de seus parentes, faleceu no planeta Terra. Contudo, para a alegria de outros, ressuscitou em Marte. Agora, em meio a uma guerra civil no planeta vermelho, habitado por seres de cor verde e criaturas gigantescas, ele é visto como a única esperança de ajudar a princesa Deja Thoris (Lynn Collins) a salvar o seu mundo, numa batalha que mudará para sempre o seu destino. O roteiro foi baseado no livro "A Princess of Mars" e nos personagens de Edgar Rice Burroughs. Uma curiosidade: "John Carter" está entre os filmes mais demorados para sair do papel nos últimos 79 anos. Seu primeiro processo de produção começou em 1931, quando Robert Clampett pensou em fazer uma animação com a mesma história, que só começou a ser filmada, com atores reais, em janeiro de 2010 em Londres. Ufa!

15 de fevereiro de 2018

A Fantástica Baleia Engolidora de Circos

Foto: Mariana Rocha

Sem usar qualquer palavra falada, a carioca Cia. Frita apresenta para a criançada o universo mágico do circo em "A Fantástica Baleia Engolidora de Circos", que ganha uma temporada na CAIXA Cultural São Paulo, entre 22 de fevereiro e 4 de março. O elenco conta com as atrizes Érika Freitas, Mariana Rabelo e Florencia Santángelo, e a direção e o roteiro são assinados por Alvaro Assad. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos às 9h do dia da apresentação.
O público conhece a hilária saga de três palhaças que foram engolidas por uma baleia junto com seu pequeno circo durante uma enchente que alagou a cidade. Enquanto o animal navega pelos sete mares do globo, as artistas precisam se adaptar àquele cotidiano surreal. Elas esperam ansiosamente pelas surpresas que virão com a próxima mordida da baleia e sonham com o mundo externo. Durante cada tempestade no meio do mar, as palhaças se comportam de modo completamente nonsense.
Durante o processo criativo da peça, a trupe pesquisou o universo da pantomima e das reprises e gags (piadas) clássicas do circo. Como o espetáculo não tem falas, o elenco teve um treinamento corporal para a comédia física, em que os gestos são usados para provocar a comicidade e narrar de forma eficiente a história. A proposta da encenação é resgatar e difundir a arte da palhaçaria clássica.
Além do espetáculo, o grupo ministra uma oficina gratuita de Palhaçaria para Crianças, com Érika Freitas. A atividade pretende despertar o lúdico, o riso, a espontaneidade e a relação com o outro a partir de brincadeiras e jogos de improviso. A oficina acontece no dia 3 de março, das 10h às 12h, e oferece 20 vagas para crianças de 10 a 14 anos. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo telefone (11) 3321-4400. A seleção será a partir da ordem de inscrições.
CAIXA Cultural São Paulo fica na Praça da Sé, 111 – Centro  e o espetáculo inicia-se às 15 horas.