12 de dezembro de 2017

Mártir

Foto: Edson Kumasaka

O espetáculo "Mártir" ​está em cartaz na Oficina Cultural Oswald de Andrade até 16 de dezembro. Na narrativa, Benjamim não quer mais frequentar as aulas de natação na escola. Sua mãe acha que ele está usando drogas ou tem conflitos com seu corpo. Mas, na verdade, o jovem encontrou Deus, e as aulas mistas ofendem os seus princípios religiosos. Fundamentalismo e intolerância são os principais temas desta provocadora peça, que também questiona: até onde somos capazes de chegar para aceitar a fé do outro? Quando devemos impor as nossa próprias crenças? O fundamentalismo religioso, os discursos de ódio e a violência provocada pela intolerância, pautas cada vez mais atuais no Brasil, são os temas da peça, escrita por Marius Von Mayenburg, um dos principais nomes do teatro alemão contemporâneo. A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro e a temporada acontece às quintas e sextas-feiras, às 20h, e aos sábados, às 18h. Os ingressos são gratuitos, com distribuição de convites uma hora antes de cada sessão. 

11 de dezembro de 2017

Rita Lee - Uma Autobiografia


O humor pra lá de genial permeia a obra "Rita Lee - Uma Autobiografia", de Rita Lee. A dualidade que vivemos é exposta sem nenhum tipo de preconceito, uma verdade que aproxima a artista de seus leitores e fãs. O ritmo das entrelinhas é frenético, um perfeito rock and roll. A poesia é dedilhada com clareza e, aos mais desavisados, participo que rir das historietas é condição sine qua non de uma leitura humana e ao mesmo tempo irreverente. Rita Lee é um personagem incomum, apaixonante e singular. Na narrativa, a infância e os primeiros passos na vida artística; sua prisão em 1976; o encontro de almas com Roberto de Carvalho; o nascimento dos filhos, das músicas e dos discos clássicos; os tropeços e as glórias. A essência da artista, certamente, está nessas páginas. Vale muito à pena a leitura!

8 de dezembro de 2017

Coral La Cappella Divina


De 13 a 16 de dezembro, o Centro Cultural Banco do Brasil apresenta o que interpretará canções natalinas. Serão duas apresentações diárias, uma às 12h30 e outra às 18h, tudo com entrada franca. No repertório o coral cantará desde canções de Natal tradicionais em português e outros idiomas, bem como obras de grandes compositores, Haendel, Bach, Fauré, Mozart e Vivaldi. A regência é do maestro Sergio Assumpção. O coro é formado por 20 cantores apresentará a cappella ou com acompanhamento de um piano eletrônico. O Coral La Cappella Divina é formado por 6 sopranos, 6 contraltos, 4 tenores, 4 baixos e um tecladista acompanhador. O Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo fica na Rua Álvares Penteado, 112 - Centro.

7 de dezembro de 2017

Doctor Strange


Com uma excelente ideia original e construção de personagens, a película americana "Doctor Strange" ou "Doutor Estranho" (2016) tem ação de sobra. O tema é bem delineado. A história é boa e tem bons argumentos. Os efeitos especiais dão um toque primoroso na trama. Na narrativa, Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) leva uma vida bem sucedida como neurocirurgião. Sua vida muda completamente quando sofre um acidente de carro e fica com as mãos debilitadas. Devido a falhas da medicina tradicional, ele parte para um lugar inesperado em busca de cura e esperança, um misterioso enclave chamado Kamar-Taj, localizado em Katmandu. Lá descobre que o local não é apenas um centro medicinal, mas também a linha de frente contra forças malignas místicas que desejam destruir nossa realidade. Ele passa a treinar e adquire poderes mágicos, mas precisa decidir se vai voltar para sua vida comum ou defender o mundo.  Algumas curiosidades: o ator Benedict Cumberbatch revelou que o que mais o atraiu no personagem e no roteiro do longa foi o caráter espiritual da história. Ele fez um programa de voluntariado em um Centro Budista na Índia, onde lecionou inglês. Segundo o ator, ele credita a esse trabalho boa parte de sua preparação para o papel. Uma querela: a escalação de Tilda Switon gerou muita polêmica, devido a acusações de white washing, já que o personagem, no material original, seria um homem tibetano. Assista ao trailer!

6 de dezembro de 2017

20ª edição do Cirandança

Foto: Renata Boniol

O Cirandança comemora 20 anos em 2017 com apresentações nos dias 8, 9 e 10 de dezembro no Centro Cultural Diadema (Teatro Clara Nunes). A cada dia acontece um espetáculo diferente, com entrada franca. O evento encerra as atividades do Programa de Oficinas de Dança desenvolvido, durante ano de 2017, pela Secretaria Municipal de Cultura de Diadema, e ministradas pelos bailarinos educadores da Companhia de Danças de Diadema. O 20º Cirandança envolve cerca de 750 pessoas - alunos de todas as faixas etárias - crianças com mais de seis anos, jovens, adultos e idosos (todos participantes das oficinas), artistas orientadores da Companhia e agentes os centros culturais da cidade -, além de centenas de familiares e amigos dos alunos que lotam a plateia em todas as apresentações. A cada edição, um assunto é eleito para o desenvolvimento das coreografias: cada turma mostra no palco, pelos movimentos da dança, o resultado da inspiração ou leitura feita do tema adotado. As apresentações acontecem na Sexta (às 20h), Sábado e domingo (às 19h) no Teatro Clara Nunes - Centro Cultural Diadema, na Rua Graciosa, 300 - Centro - Diadema. Os interessados podem retirar os ingressos com uma hora de antecedência.

5 de dezembro de 2017

Joy


A biografia americana, baseada em fatos reais, "Joy" ou "Joy: o nome do sucesso" (2015) tem uma história com ritmo e personagens tão cativantes que fica difícil a audiência não se aproximar da trama. A narrativa é contagiante com seus dilemas e obstáculos crescentes. Há uma boa trilha sonora e direção. Além disso, a biografia de Joy é inspiradora. No drama, criativa desde a infância, Joy Mangano (Jennifer Lawrence) entrou na vida adulta conciliando a jornada de mãe solteira com a de inventora e tanto fez que tornou-se uma das empreendedoras de maior sucesso dos Estados Unidos. Confira o trailer!


4 de dezembro de 2017

Hebe - O musical

Foto: Caio Gallucci

"Hebe - O musical" reestreia hoje no Teatro Procópio Ferreira. Da infância humilde em Taubaté, no interior de São Paulo, ao posto de rainha da televisão brasileira, Hebe Camargo ganhou um musical, baseado na biografa escrita por Arthur Xexéo e com direção de Miguel Falabella, que conta sua escalada profissional e os amores que passaram por sua vida. Embalado pelas canções que marcaram sua carreira de cantora, o espetáculo atravessa oito décadas nas quais, muitas vezes, os caminhos de Hebe e da TV no Brasil se confundem. Os números são grandes: 21 atores em cena, orquestra composta por 09 músicos e mais de 30 técnicos envolvidos. A personagem da própria Hebe recebe o público que vai ao Teatro Procópio Ferreira e o convida a conhecer a sua história. Com coreografias de Fernanda Chamma, direção musical de Daniel Rocha e e preparação vocal Guilherme Terra, que também será o maestro, "Hebe – O musical" traça a trajetória pessoal e profissional da mais carismática das apresentadoras de TV no Brasil e, por isso mesmo, a mais popular. O Teatro Procópio Ferreira fica na Rua Augusta, 2.823 - Jardins. As apresentações acontecem quinta e sexta às 21h | sábado às 17h e 21h | domingo às 18h.

1 de dezembro de 2017

Cinderella


A releitura da produção da película "Cinderella" (2015) é bem inventiva. Precisa estar atento aos detalhes para entender tal inventividade. O roteiro é bom e tem uma estrutura clássica, já esperada. A direção é dinâmica. Também contamos com excelentes figurinos e efeitos especiais. Na trama do romance, após a trágica e inesperada morte do seu pai, Ella (Lily James) fica à mercê da sua terrível madrasta, Lady Tremaine (Cate Blanchett), e suas filhas Anastasia e Drisella. A jovem ganha o apelido de Cinderela e é obrigada a trabalhar como empregada na sua própria casa, mas continua otimista com a vida. Passeando na floresta, ela se encanta por um corajoso estranho (Richard Madden), sem desconfiar que ele é o príncipe do castelo. Cinderela recebe um convite para o grande baile e acredita que pode voltar a encontrar sua alma gêmea, mas seus planos vão por água abaixo quando a madrasta má rasga seu vestido. Agora, será preciso uma fada madrinha (Helena Bonham Carter) para mudar o seu destino. Algumas curiosidades: Lily James, que interpreta Cinderela, e Sophie McShera, que interpreta Drizella, estrelam a série "Downton Abbey" (2010). No entanto, seus papéis são invertidos: em Downton, McShera interpreta Daisy, uma serva, enquanto James interpreta Lady Rose, uma aristocrata. Outra curiosidade é que a famosa pintura Rococo "The Swing", que é retratada em "Frozen", quando Anna dança ao redor do castelo, apresenta uma mulher perdendo o sapato enquanto balança no jardim. Este momento é recriado em uma cena de Cinderella. Assista ao trailer.

30 de novembro de 2017

The Portrait of a Lady


Do ano de 1996, a película "The Portrait of a Lady" ou "Retrato de uma mulher" conta com uma excelente interpretação de Nicole Kidman. O drama é intenso e bem construído. Os personagens são complexos em meio a tensões e conflitos que incomodam a audiência. A fotografia fascina. Há de se notar uma boa produção com belas locações e ambientação. Na história, Gardencourt, Inglaterra, 1872. Após a morte do Sr. Touchett (John Gielgud), a americana Isabel Archer (Nicole Kidman) herda 70 mil libras. Ela viajava pela Europa para se encontrar e já tinha rejeitado as tentativas de aproximação de Caspar Goodwood (Viggo Mortensen), outro americano, que a tinha seguido até a Inglaterra. O primo dela, Ralph Touchett (Martin Donovan), que é sábio mas doente, se torna para ela um confidente. Isabel faz uma infeliz amizade com a ambiciosa Madame Serena Merle (Barbara Hershey), que a leva a infelizmente conhecer Gilbert Osmond (John Malkovich), um colecionador de objetos de arte que a seduz. Isabel se casa com Gilbert e só então descobre que ela é só mais uma peça na coleção de Osmond. Isabel também descobre que Osmond e Madame Merle são amantes e que eles elaboraram um plano diabólico para roubar a fortuna dela. Isabel só se conforta com a filha inocente de Osmond, Pansy (Valentina Cervi), mas até mesmo aquela amizade é deteriorada quando Merle revela a verdadeira ascendência da criança. Como curiosidade, o compositor Wojciech Kilar teve a idéia do tema de abertura em um voo de volta à Polônia, após se encontrar com a diretora Jane Campion. A composição foi escrita no próprio cartão de embarque do voo. Um luxo! Confira uma das cenas.

29 de novembro de 2017

Deus lhe Dê em Dobro

Foto: Vanessa Dutra

O Grupo Dragão7 de Teatro apresenta o espetáculo "Deus lhe Dê em Dobro" nos 10 Anos do Circuito Cultural Paulista a partir do dia 1º de dezembro. A montagem é uma adaptação da diretora Creuza F Borges para o texto "A Cavaqueira do Poste", de Sérgio Mabombo (integrante do Grupo Lareira, de Maputo/Moçambique), resultado do intercâmbio que o Dragão7 desenvolve junto a países de língua portuguesa. "Deus Lhe dê em Dobro" é uma adaptação mais conivente com a realidade brasileira. Situações do cotidiano da cidade africana Maputo foram transportadas para o Brasil, para a cosmopolita São Paulo que tem problemas urbanos semelhantes, entre eles falta de moradia, saúde pública precária e exclusão social. No enredo, dois mendigos com limitações físicas esperam pelo seu salvador. Com muito bom humor a peça provoca reflexões sobre a condição humana no planeta, diante das questões sociais e econômicas. Zonda (vivida por Leticia Bortoletto) é cega. Tiri (interpretado por Junior Lima) tem os braços amputados. Eles vivem pelas ruas com a esperança de que um dia o milionário Drumond Galaska volte, como prometera, para buscá-los e tirá-los da miséria. Enquanto aguardam, Zonda e Tiri falam sobre suas condições de vida, inegavelmente ligadas a questões complicadas como a acessibilidade social e econômica, a crise financeira mundial e a má distribuição dos recursos. Em debate também está o preconceito e a discriminação ao terem de encarar a opinião daqueles que defendem ser a pobreza culpa deles próprios, pois “nascem aos montes, sem ter sequer migalhas de pão para comer”. A agenda do espetáculo inicia-se no dia 1º de dezembro (sexta, às 20h30) com a apresentação em Lençóis Paulista, na Biblioteca Municipal Orígenes Lessa; no dia 2 de dezembro (sábado, às 11h), em Bauru, na Praça Rui Barbosa; e no dia 3 de dezembro (domingo, às 18h30), em Garça, no gramado da Concha Acústica. Todas as apresentações são gratuitas. 

28 de novembro de 2017

Em teu nome


O drama brasileiro "Em teu nome" (2010) tem diálogos fracos, falta ritmo na história e certa unidade temática. Não é uma trama envolvente, consequentemente, não emociona a audiência à flor da pele. Contudo, sempre é bom assistir histórias fora do eixo Rio/SP. Na narrativa, no Brasil da ditadura militar, década de 1970, Boni (Leonardo Machado), um estudante de engenharia pobre, entra para a luta armada. Cheio de dúvidas e receios, ele teme pela família, pela namorada e por seu futuro, se é que ele um dia terá um. Confira o trailer!

27 de novembro de 2017

O livro das curiosidades romanas


De J.C. McKeown, "O livro das curiosidades romanas" instiga o leitor de cara, já pelo conteúdo proposto. A linguagem é acessível e clara. Além de serem organizadas por temas, as curiosidades em questão são escritas como pílula, ou seja, deixa o leitor bem livre para retomar o livro quando e onde quiser. A seleção das extravagâncias é fantástica, mesmo que, por vezes, algumas delas possam nos deixar estarrecidos com tamanhas ações inescrupulosas ou politicamente incorretas. Na narrativa, os romanos nos deixam mais informações sobre si do que qualquer outra sociedade ocidental do passado. As informações descartadas pela maioria dos livros sobre Roma Antiga são exatamente o que vislumbramos na obra. Podemos dizer que o livro revela uma vasta coleção de fatos interessantes. O autor demonstra cuidado nesta seleção, que são recolhidas de fontes históricas. Divertido e curioso. A partir dele, podemos até entender algo muito similar com a nossa atual civilização.

24 de novembro de 2017

My Week with Marilyn


O drama biográfico "My Week with Marilyn" ou "sete dias com Marilyn" (2011) já inicia com uma excelente ambientação, produção e figurinos. A direção é criativa. Os personagens são interessantes desde a sua construção, desenvolvimento até a conclusão. São humanos e aproxima a audiência da trama. Um luxo! Os dilemas são claros e aprofundados. Na história que acontece no verão de 1956, o jovem Colin Clark (Eddie Redmayne), vindo de Oxford em busca de sucesso na indústria do cinema, trabalhou como assistente no set de filmagem de "O Príncipe Encantado". Esta produção reunia duas grandes estrelas, Sir Laurece Olivier (Kenneth Branagh) e Marilyn Monroe (Michelle Williams), que estava nesta época em lua-de-mel com seu novo marido, o dramaturgo Arthur Miller (Dougray Scott). Quase 40 anos mais tarde, foi publicado o diário de Miller, intitulado "The Prince, The Showgirl and Me" ("O Príncipe, a Vedete e Eu"), mas uma semana faltava, e estas páginas desaparecidas foram publicadas mais tarde com o título "My Week With Marilyn"("Minha Semana com Marilyn"). Quando Arthur Miller deixa a Inglaterra, Colin decide mostrar a Marilyn os prazeres da vida britânica; esta torna-se uma semana idílica em que ele acompanhou uma estrela ansiosa para fugir dos holofotes de Hollywood e da pressão do trabalho. Assista ao trailer!

23 de novembro de 2017

Edwin Boyd


O drama "Edwin Boyd" ou "Edwin Boyd: A lenda do crime" (2011) tem uma história repleta de reviravoltas que conta a trajetória de um homem em busca se descobrir e redescobrir por toda uma vida, apesar de tanta maquiagem e certa poesia. Prestem muito atenção nas atuações de Scott Speedman e Kelly Reily, impecáveis. Além disso, a película conta com uma boa direção e produção. Na narrativa que é baseada em fatos reais, Eddie Boyd é homem que largou sua vida comum para virar um ladrão de bancos, que virou lenda nos Estados Unidos. Desiludido com a situação pós-guerra, Eddie está divido entre a necessidade de ajudar sua família e realizar um sonho de ir para Hollywood e se tornar uma estrela. De alguma forma, ele descobre uma maneira de fazer as duas coisas, roubando bancos no estilo de filmes de ação. Mas, ao ganhar fama no mundo do crime, o seu sonhos o leva por um caminho cheio de perigos. Confira o trailer!

22 de novembro de 2017

Mártir

Foto: Edson Kumasaka

Cia. Arthur-Arnaldo propõe reflexão sobre intolerância religiosa e os discursos de ódio em "Mártir", do autor alemão Marius Von Mayenburg. Com direção de Soledad Yunge, o texto inédito no Brasil estreia no dia 23 de novembro, na Oficina Cultural Oswald de Andrade. A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos uma hora antes de cada sessão. O fundamentalismo religioso, os discursos de ódio e a violência provocada pela intolerância, pautas cada vez mais atuais no Brasil, são os temas de "Mártir". A trama narra a transformação do jovem Benjamin, que, ao começar a ler a Bíblia, para de frequentar as aulas mistas de natação na escola porque elas ferem o seus sentimentos religiosos. Com direção de Soledad Yunge, o espetáculo levanta questionamentos: até que ponto as pessoas estão dispostas para aceitar a fé das outras? Em que circunstância elas devem impor as próprias crenças? Como elas se comportam ao se deparar com doutrinas diferentes das suas? Qual é o limite entre um discurso de mudança e um comportamento extremista? O que é a verdade? Como alguém é capaz de transformar uma opinião em “verdade absoluta” para justificar os próprios desejos? “Mártir” estreia amanhã na Oficina Cultural Oswald de Andrade que fica na Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro, São Paulo, todas às quintas e sextas-feiras, às 20h, e aos sábados, às 18h. Os ingressos são gratuitos, com distribuição de convites uma hora antes de cada sessão.

21 de novembro de 2017

Carne de Mulher

Foto: Lenise Pinheiro

Até o dia 11 de dezembro o monólogo "Carne de Mulher" fica em cartaz no Cemitério de Automóveis. A peça dos italianos Dario Fo (Prêmio Nobel) e Franca Rame aparece como parte de um manifesto artístico feminista de uma performer, interpretada por Paula Cohen. “Desde as Pitonisas Gregas, que eram sacerdotisas da maior importância, até escritoras, cineastas, alquimistas e outras que tiveram destaque, mas não são mais lembradas por conta do machismo de nossa sociedade”, conta Paula. Escrita em 1977, a peça traz a história de uma prostituta que está presa no manicômio judiciário por ter ateado fogo no escritório de um industrial. A personagem conta sua trajetória de vida, revelando uma sequencia de abusos, onde o transbordar torna-se inevitável, fazendo com que encontre forças para reagir diante de seus opressores. O espetáculo apresenta-se todas as segundas-feiras às 21 horas no Cemitério de Automóveis que fica na Rua Frei Caneca, 384 - Consolação, São Paulo - SP. 

20 de novembro de 2017

Aruandê Camarado!

Foto: Divulgação

O coletivo "Aruandê Camarado!" nasceu da ideia de Ordep Lemos (músico e produtor musical) e Dadá Jaques (músico e capoeirista) em desenvolver um trabalho voltado para a cultura negra. O projeto se concretizou quando reuniram artistas, capoeiristas, comunicadores e outras cabeças empenhadas em valorizar e amplificar a cultura afro-brasileira, bem como a cultura regional do Brasil. São eles: Capinan, Guellwaar Adún, Vicente Dias, Percussa Obá OkêAlexandre Lyrio, Nestor Madrid, Carlos Rezende, Cláudia Simões, Mestre Alex e Carla Pita. O dia escolhido para o lançamento oficial do site (link abaixo) e do primeiro clipe (link abaixo), também de nome Aruandê Camarado!), foi hoje, dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, considerando sua representatividade que vem de encontro ao perfil do coletivo. "Aruandê Camarado!" é para ouvir, assistir, ler, fruir, participar, se identificar e curtir. Por isso se utiliza do conceito da transmídia, onde qualquer plataforma de comunicação é bem vinda, com conteúdos que se interliguem e promovam diálogos criativos; que, juntos, se transformem e derivem novos experimentos, perspectivas e ideias sobre os conteúdos em pauta. No caso do Coletivo, a capoeira, o mundo negro, o Brasil regional, a África e a diáspora africana. Eventos culturais, em diversas vertentes, destacando uma ou várias manifestações artísticas estão nos projetos destes artistas. Tudo isso está posto na obra inaugural, o clipe Aruandê. O som mistura rock raiz com a sonoridade do berimbau e instrumentos percussivos. O resultado é uma composição cheia de suingue groovado e adrenalina. Na letra, homenagens a importantes nomes da capoeiragem baiana. Com direção e fotografia de Toni Couto, "Aruandê" resgata a sonoridade dos terreiros de candomblé e figuras históricas da cultura negra, sem esquecer a modernidade musical. 



17 de novembro de 2017

Cause of Death


No filme canadense "Cause of Death" ou "Desejo e morte" (2001) encontramos um roteiro bem estruturado num suspense perfeito que deixa as pistas num emaranhado de tramas perfeitas. A direção prende a audiência e há boas atuações, como as de Maxim Roy. Na narrativa, um advogado de distrito é designado para investigar o assassinato do primo do prefeito. O que ele não contava era se apaixonar pela esposa da vítima que, por sua vez, é suspeita por toda a trama. Confira o trailer!

16 de novembro de 2017

Dia do Profissional da Dança 2017

Foto: Reginaldo Azevedo

Para festejar a data do Dia do Profissional da Dança, a Sinddança (Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de São Paulo) realiza nos dias 18 e 19 de novembro, sábado (às 20h) e domingo (às 18h), o Dia do Profissional da Dança 2017, no Teatro Alfa, em São Paulo. O espetáculo é formado por várias apresentações (coreografias) com bailarinos profissionais e grupos de dança de projeção nacional e internacional para festejar a arte da dança, bem como prestar homenagem a todos os bailarinos e profissionais da área. A programação reúne os vencedores do Encontro Nacional de Dança – ENDA 2017 e têm ainda participação de convidados especiais que são referência no campo da dança no Brasil e Exterior. No dia 18, os convidados são Cisne Negro Cia. de Dança (com Abacadá), São Paulo Cia. de Dança (com Grand Pas de Deux de O Quebra Nozes) e Sopro Cia. de Dança (com Ensaio Sobre a Liberdade), além da participação especial da dupla Nilza y Pablito em número de tango. Já no dia 19, Luis Arrieta (em O Cisne), Companhia de Danças de Diadema (com Novena) e Teen Broadway (com Mambo West Side Story) são os convidados. E uma apresentação de street dance fecha as duas noites do evento. O Teatro Alfa fica na Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 - Santo Amaro - São Paulo.

15 de novembro de 2017

Escangalhar


E para quem quiser ir num sarau, hoje tem "Escangalhar -  Sarau da Proclamação" com o lançamento da coletânea, conversas declamação. Anote: 15 de novembro no Espaço Kazuá - Rua Ana Cintra, 26 – Campos Elíseos – SP  das 16 às 20hs. O livro "Escangalhar" é uma coletânea de contos, resultados da Oficina Escangalhar no Espaço Kazuá. Além da prática de corroer, desamanhar e lascar os textos e palavras como principal intenção, foi espaço onde pessoas que desejavam escrever puderam conversar sobre seus escritos. Errar e rever. Corrigir e corroer. Escavar e informar. Comunicar e conhecer. Apreciar e cometer. Arrojar-se e claudicar. Os participantes vivenciaram encantamento de ver e ouvir sinceras críticas sobre seus trabalhos e além de presenciar o outro tomando aquele texto para si.  Tiveram uma convivência forte. Profícua. Emocionante. Divertida. Viva e realmente literária. E, agora, o lançamento. Prestigiem!

14 de novembro de 2017

Vocês que me habitam

Foto: Rafael Ianni

Até 20 de dezembro na Oficina Cultural Oswald de Andrade o texto inédito de Gustavo Colombini e Erica Montanheiro poderá ser assistido gratuitamente. A peça aborda temas como a memória, relações familiares e violências contra a mulher para falar de afeto, escuta e empatia. Com direção de Erica Montanheiro, a peça traz no elenco as atrizes Ana Elisa Mattos e Joyce Roma. Na narrativa, em um consultório, o encontro de uma mulher e uma médica se torna o disparador da revelação de situações limite. Suas memórias emergem, trazendo à tona relações familiares e desejos de liberdade frente às regras de uma sociedade patriarcal. A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro - SP. A Temporada vai até o dia 20/12 todas as segundas, terças e quartas, às 20h. A retirada de ingressos acontece 1h antes do espetáculo.

13 de novembro de 2017

Hoje eu quero voltar sozinho


O brasileiríssimo "Hoje eu quero voltar sozinho" (2014) tem uma história delicada com bons dilemas e conflitos claros e crescentes. A boa direção unida a fotografia criativa dão um toque magistral. A cena final é arrebatadora. Na narrativa, Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade. A película foi escolhida para representar o Brasil na disputa do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro 2014. E foi Vencedor do Prêmio FIPRESCI e do Teddy Award no Festival de Berlim 2014. Confira o trailer!

10 de novembro de 2017

Neverland


A fantasia americana "Neverland" ou "A Terra do nunca" (2011) tem uma excelente construção de personagens e mundo. A história é mediana e não encanta tanto, apesar de ter conflitos crescentes e estrutura da trama esperada. O figurino foi bem resolvido. Os efeitos especiais são bons, mas não surpreende. Na narrativa, criado nas ruas de Londres na virada do século, o órfão Peter (Charlie Rowe) e seus amigos sobrevivem devido às suas habilidades para pequenos furtos. Agora, eles estão sob o comando do mentor Jimmy Hook (Rhys Ifans) tentando roubar um tesouro, que alguns dizem ser até mesmo mágico e que os transportaria para outros lugares. A Terra do Nunca é um recanto de florestas brancas  e mistérios lendários envolvendo eterna juventude, onde amigos e desconhecidos arrebatados pelo tempo dão boas vindas aos novos viajantes com entusiasmo e trepidação. Esses grupos incluem uma tripulação de piratas do Século 18, liderados por Elizabeth Bonny (Anna Friel), e uma tribo de nativos americanos, liderados por Holy Man (Raoul Trujillo), que vem protegendo os segredos da mágica terra, contra os piratas. À medida que a luta para salvar este estranho e belo universo torna-se vital, Hook, Peter e os outros passam a considerar que a ideia de envelhecerem em outro lugar seja menos importante que passarem o resto de suas vidas neste novo universo, chamado Terra do Nunca. Como curiosidade, esta é a segunda vez que Bob Hoskins interpreta Smee. A primeira foi em "Hook: A Volda do Capitão Gancho" (1991). Confira o trailer!

9 de novembro de 2017

Space Invaders

Foto: Divulgação

Dirigido e escrito por Fernanda Gama, o espetáculo da Cia. do Fubá "Space Invaders"revela o olhar de um adolescente que se sente tão isolado quanto um astronauta fora de órbita. Bruno Gavranic, Leonardo Devitto, Mateus Monteiro e Paula Bega formam o elenco. Com músicas de David Bowie e linguagem das HQs, peça juvenil Space Invaders está em cartaz no Espaço Elevador. A adolescência é um período turbulento para quase todo mundo. Os sentimentos de solidão e inadequação são muito mais comuns do que pensa o inseguro Caio, um jovem deprimido de 14 anos que teve seu espaço invadido quando os três filhos adolescentes de seu padrasto se mudaram para a sua casa. Para aliviar o sofrimento, ele decide transformar a experiência na HQ Space Invaders. Isso porque a própria peça reproduz a graphic novel escrita pelo protagonista - tudo o que vemos é sob o ponto de vista dele. Na sinopse, Caio só pensa em sumir do mapa e se sente isolado como um astronauta fora da órbita da Terra. Ele perde espaço na própria casa depois que os filhos de seu padrasto - Pedro, Luca e Vanessa, se mudam para sua casa, e, como alienígenas do jogo “Space Invaders”, invadem seu antigo quarto. A peça é uma história em quadrinhos que Caio começou a escrever depois dessa mudança brusca em sua vida. O Espaço Elevador fica na Rua Treze de Maio, 222 - Bela Vista - São Paulo. As apresentações vão até o dia 10 de dezembro, aos sábados e domingos, às 19h.

8 de novembro de 2017

Till, a saga de um herói torto

Foto: Nidim Sanshes

"Till, a saga de um herói torto" do Grupo Galpão chega ao SESC Interlagos nos dias 11 e 12 de novembro. Uma das companhias mais importantes e premiadas do cenário teatral brasileiro, o Grupo Galpão, completa 35 anos de trajetória em 2017. Em turnê comemorativa pelo país, o grupo mineiro chega a São Paulo, todas com entrada gratuita. Os bate-papos e as oficinas completam a programação e fazem parte das ações presentes em todas as unidades. Na narrativa da história, um dia, na eternidade, o Demônio aposta com Deus que se tirasse do homem algumas qualidades, ele cairia em perdição. Deus, aceitando o desafio, resolve trazer ao mundo a alma de Till. Ambientado na Idade Média e vivendo numa Alemanha miserável, povoada de personagens grotescos e espertalhões, logo de início nosso protagonista é abandonado em meio ao frio e a fome e descobre que a única maneira de sobreviver naquele lugar é se tornar ainda mais esperto e enganador. Assim começa sua saga cheia de presepadas e velhacarias. O Sesc Interlagos fica na Av. Manuel Alves Soares, 1.100 - São Paulo.

7 de novembro de 2017

A Cia. Teatro da Investigação inaugura sede na Zona Leste

Foto: Rogério Pixote

Nos dias 10, 11 e 12 de novembro, a CTI Cia. Teatro da Investigação completa 14 anos de estrada e comemora com a abertura de um espaço cultural na Zona Leste de São Paulo. Construída a muitas mãos a Sede CTI abrigará as atividades da Cia, assim como receberá grupos parceiros e artistas convidados. A inauguração contará com apresentações artísticas dos grupos: Ciclistas Bonequeiros, Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã, Forró de Muié, Tribo Mirim, Castelo das Artes, Dona Flor e a CTI Cia. Teatro da Investigação com a apresentação da peça "A Casa de Farinha do Gonzagão" e uma roda de conversa com Vânia de Fátima Noronha Alves e festeiros da cultura Popular. O espaço abrigará o Memorial Chico, Gonzaga e Jackson, uma homenagem a Chico de Assis, grande dramaturgo Brasileiro que apadrinhou e orientou o grupo no início da pesquisa do Teatro-Baile e Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro artistas da cultura brasileira e que são pontos de partida para pesquisa do grupo. Confira abaixo a agenda de inauguração da Sede CTI:

10 de novembro, sexta-feira
19:00 Roda de Conversa com Vânia de Fátima Noronha Alves e festeiros da cultura Popular

11 de novembro, sábado
14:00 Roda de Capoeira com grupo infantil Tribo Mirim.
18:00 Cortejo com o Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã.
20:00 Show Dona Flor do Dona Flor.
21:00 Forró de Muié.

12 de novembro, domingo

13h00 Peça As Aventuras E Desventuras De Maria Malazartes Durante A Construção Da Grande Pirâmide do grupo O Castelo das Artes de São Sebastião
14h00 Peça Maria Peregrina com Grupo Vice e Versa de Registro
16h00 Teatro em miniaturas da Intervenção Ciclistas Bonequeiros
17h00 Peça A Casa de Farinha do Gonzagão da CTI – Cia. Teatro da Investigação


A Sede CTI fica na Rua Oti, 212 - Vila Ré - São Paulo. Próximo ao Metrô Patriarca.

6 de novembro de 2017

A Mala de Hana


O espetáculo infantil "A Mala de Hana" faz apresentações no Teatro Anne Frank, localizado no Clube Hebraica, no próximo dia 12 de novembro às 17h. De forma singela e delicada, a montagem tem a direção de Marcelo Klabin e o elenco é formado pela dupla Fernando Chapaval e Luana Paroni. A peça é uma adaptação do aclamado livro infanto-juvenil homônimo da escritora canadense Karen Levine. A trama conta a história da menina Hana Brady a partir das descobertas feitas pela japonesa Fumiko Ishioka e seus alunos, que foram em busca da história de quem seria a dona de uma mala que receberam para utilizar em uma exposição. A montagem é um retrato da vida das crianças no Holocausto em paralelo com a visão atual da realidade. "A Mala de Hana" narra a história real de Fumiko, diretora de um centro educacional no Japão, que formou um grupo com alunos para estudar o período. A curiosidade e o fascínio pelo assunto fez com que, no ano 2000, o grupo de estudantes iniciasse uma jornada para conhecer detalhes sobre a história da jovem Hana. Foi assim que Fumiko chegou a George Brady, irmão de Hana (que ainda está vivo e mora no Canadá). Com a ajuda dele conseguiram recriar a história vivida nos campos de concentração, período em que foi separado da sua irmã. Hana, na época com apenas 13 anos de idade, chegou a Auschwitz acreditando que reencontraria George. Na mala, ela levou poucas roupas e alguns dos seus desenhos preferidos. Através de uma história que percorre três continentes diferentes – América, Europa e Ásia – o espetáculo traça, como a autora do livro diz, “uma lembrança da brutalidade do passado e da esperança do futuro”. Em cena, os atores se revezam pela narrativa da história. O Clube Hebraica fica na Rua Hungria, 1.000 - Pinheiros, São Paulo. 

3 de novembro de 2017

The Kid


A comédia americana "The Kid" ou "Duas Vidas" (2000) é leve, descompromissada e deliciosa de se assistir. A história é bem estruturada, apesar da obviedade do desfecho. Tem uma excelente ideia original e cumpre o objetivo do gênero. Na narrativa, se você tivesse a chance de encontrar consigo mesmo quando tinha 8 anos de idade, será que aquela feliz criança gostaria de ver o que você se tornou quando cresceu? Em se tratando de Russ Duritz, a resposta um ressoante "Não!". Russ (Bruce Willis) tem sua pacata vida como um profissional bem-sucedido virada de cabeça para baixo quando, de forma mágica e inesperada, encontra Rusty, ele mesmo com apenas 8 anos (Spencer Breslin). Rusty um doce e ligeiramente gordo menino que não fica nada feliz ao ver seus sonhos de ser um piloto de avião irem por água abaixo após conhecer sua versão adulta. Porém, o convívio de ambos irá ajudar Russ a relembrar seus sonhos de infância, para que ele possa se tornar o adulto que sonhava ser quando criança. Assista ao trailer!

2 de novembro de 2017

Passageiro

Foto: Alberto Lyra

Com estreia marcada para 3 de novembro, no Teatro Cacilda Becker a peça "Passageiro" também marca os 15 anos da Cia. do Quintal, uma das pioneiras e a precursora da linguagem do improviso no país, conhecida por investigar o diálogo entre a arte da improvisação e a linguagem do palhaço. Na sinopse, três histórias que se cruzam em nove cenas improvisadas acompanhadas por música ao vivo. Encontros recheados de humor que também transitam entre o belo e o sinistro da vida. Cenas que falam das passagens que podem mudar o rumos de nossas vidas. A cada apresentação, cada um desses seis personagens (que foram construídos ao longo desses 10 anos de encontro) tem a liberdade de terem a relação que quiserem ter. De falar o que quiserem falar. De criar sempre um espetáculo novo. Que nunca aconteceu e que nunca irá se repetir. O Teatro Cacilda Becker fica na Rua Tito, 295 - Vila Romana. A temporada segue de 3 novembro a 26 de novembro, às sextas e sábados às 21h e domingos às 19h.

1 de novembro de 2017

A Serpente

Foto: Leekyung Kim

Com direção de Eric Lenate, "A Serpente", última peça escrita por Nelson Rodrigues, estreia no Teatro Viradalata. Considerada uma ‘tragédia carioca’, de acordo com a célebre classificação do crítico teatral Sábato Magaldi para a obra de Nelson Rodrigues (1912-1980), "A Serpente" mesmo com apenas um ato, a peça de 1978 não deixa de criar polêmica ao retratar o amor de duas irmãs pelo mesmo homem. Elas juraram nunca se separar e moram juntas na mesma casa com seus respectivos maridos. Lígia decide se suicidar porque tem um casamento infeliz - e não consumado - com Décio, que diz sofrer de impotência, mas, na verdade, tem um caso com outra mulher. Para evitar que a irmã fizesse isso, Guida tem a ideia de emprestar Paulo, o próprio marido, para ela por uma noite. O que Guida não esperava era que Lígia se apaixonaria por ele, muito menos que esse erro poderia resultar até em morte. O Teatro Viradalata fica na Rua Apinajés, 1387 - Sumaré - São Paulo. As apresentações serão às quintas 19h, sextas e sábados 21h30, domingos 19h e segundas 21h.

31 de outubro de 2017

Relicário

Foto: Divulgação

Relicário faz seis apresentações na Oficina Cultural Oswald de Andrade a partir do dia 1⁰ de novembro. Com direção de Rhena de Faria, a peça é composta por oito cenas curtas, criadas a partir de estímulos da plateia. As histórias mostram situações cotidianas protagonizadas por diferentes mulheres, como mães, irmãs, filhas, amigas, colegas de trabalho, vizinhas e amantes. A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro. As apresentações ficam até o dia 13 de dezembro, às quartas 20h. Os ingressos são gratuitos com distribuição de ingressos uma hora antes de cada sessão.

30 de outubro de 2017

Fanny


Com cenas belíssimas, a película francesa "Fanny" (2013) nos traz uma bela discussão sobre quem verdadeiramente é o pai, em brilhantes diálogos. Os conflitos crescem sólidos e são bem resolvidos. O filme é estruturado em uma história comum, mas com um dilema verossímil. A fotografia é apaixonante. Na narrativa, Marius começa uma longa viagem abandonando Fanny. Ela descobre que está grávida e se casa com um comerciante que lhe oferece um futuro confortável. Marius retorna para recuperar a sua família, mas Fanny e seu pai vão tentar dissuadi-lo. Confira o trailer!

27 de outubro de 2017

The Young Victoria


A película "The Young Victoria" ou "A jovem rainha Victoria" (2009) nos conta uma linda história em que o amor supera as intrigas e desenlaces de uma realeza. Mostra um personagem mais forte que o aparenta, contudo, sensível e humana, principalmente quando se sente confrontada. A história é bem estruturada e tem bons diálogos e dilemas crescentes e verossímeis. A direção, roteiro, fotografia, direção de arte e figurinos são impecáveis. Na narrativa, dominada por sua mãe possessiva (Miranda Richardson) desde criança, a jovem Vitória (Emily Blunt) se recusa a conceder a ela a regência nos últimos dias de seu tio, William IV (Jim Broadbent). O maior interessado em que isto ocorra é John Conroy (Mark Strong), companheiro da mãe de Vitória, que sabe que perderá poder e prestígio tão logo ela alcance a maioridade e assuma a coroa inglesa. Pouco antes de ser coroada, Vitória se aproxima de Albert (Rupert Friend), príncipe da Bélgica, que se afeiçoa a ela. Após ser coroada ela passa a ser cortejada pelo lorde Melbourne (Paul Bettany), primeiro ministro da época. Dividida entre Melbourne e Albert, Vitória se vê diante de uma crise institucional devido à sua interferência nos assuntos políticos do país. Não à toa, a película ganhou o Oscar de Melhor Figurino. Como curiosidade, os vestidos usados por E,ily Blunt custaram 10 mil libras esterlinas cada. O vestido de Vitória em seu primeiro encontro com o conselho é uma réplica do verdadeiro, atualmente exposto em um museu inglês. Um belo trabalho. Assista o trailer!

26 de outubro de 2017

Concurso para Criação e Escolha da Bandeira do Cimbaju


O Cimbaju (Consórcio Intermunicipal dos Municípios da Bacia do Juquery) lança o Concurso para Criação e Escolha da Bandeira Cimbaju. Podem se inscrever todos os alunos regularmente matriculados na Rede Municipal, Estadual e Privada de Ensino dos municípios que integram o Cimbaju. As inscrições acontecem de 1º a 31 de outubro de 2017. O resultado do concurso será informado no Dia da Bandeira deste ano, 19 de novembro. A bandeira deverá considerar os aspectos culturais, econômicos, históricos, geográficos e ambientais dos municípios de Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha e Mairiporã. O desenho da bandeira do Cimbaju deverá contemplar as cores e aspectos das bandeiras ou brasões dos municípios de Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha e Mairiporã. Acompanhado do desenho da bandeira, deverá ser apresentado memorial descritivo da elaboração artística. Como paradigma de simbologia e de memorial, apresentam-se as da bandeira nacional e da bandeira do município de Campo Grande. Informações sobre o concurso: Secretaria de Comunicação da Prefeitura do Município de Caieiras. Telefone: (11) 4445-9229.

25 de outubro de 2017

“por+vir”

Foto: Silvia Machado

A Companhia de Danças de Diadema apresenta o espetáculo “por+vir”, nos dias 27 e 28 de outubro, às 20h, no Teatro Clara Nunes, no Centro Cultural Diadema. Em 2015, para comemorar 20 anos de carreira no cenário artístico, a Companhia de Danças de Diadema promoveu um reencontro com importantes coreógrafos que, ao longo de sua trajetória, já haviam criado obras para seu repertório. A partir desse novo encontro com o elenco da Companhia, o espetáculo “por+vir” foi concebido. Assim, nove coreógrafos trouxeram a possibilidade de experimentação de momentos únicos, cada um pela sua ótica sobre a dança contemporânea. As experimentações levaram a um mosaico de movimentos, gerando assim as cenas: Nós de Nós, de Cláudia Palma; Bakú, intervenções entre cenas de Ana Bottosso; Caminhos Traçados, criação coletiva - Pedro Costa e elenco da Cia; .entre pontos., de Fernando Machado; Gárgulas, de Sandro Borelli; Esse Samba é Meu, de Sérgio Rocha, Entremeios, de Mário Nascimento; 1 + Um, de Henrique Rodovalho; e  Novena, de Luís Arrieta. Com a realização deste projeto, a Companhia de Danças de Diadema expressa seu gosto pela versatilidade, pelas múltiplas maneiras de olhar a dança. Por meio dos corpos de seus intérpretes e dos diferentes estilos desenvolvidos pelos coreógrafos, proporciona ao público um múltiplo panorama gestual e sensorial. O Teatro Clara Nunes fica na Rua Graciosa, 300 – Centro - Em Diadema, SP. A entrada é franca.

24 de outubro de 2017

D’arc - Dark

Foto: Silvia Machado

Concebido pelos coreógrafos Dinah Perry e Jorge Garcia, o espetáculo "D’Arc - Dark" estreia no dia 5 de novembro no Espaço Capital 35. A temporada segue até o dia 26 de novembro com sessões sempre aos domingos, às 19h. "D'arc - Dark" é dividido em dois atos sequenciais com 30 minutos de duração cada um. São coreografias distintas que mostram o diferente olhar dos coreógrafos para o mesmo tema, mas que se complementam ao contemplar a mulher de todos os tempos. Tanto D’arc de Dinah Perry quanto Dark de Jorge Garcia tem Joana d’Arc como inspiração: heroína francesa, santa da igreja católica e padroeira da França, ela foi chefe militar na Guerra dos Cem Anos e condenada à execução na fogueira sob a acusação de bruxaria. Dinah traz a Joana D’arc inserida nas questões da mulher contemporânea; já Garcia explora o lirismo e as dores desse arquétipo de mulher. Embora o período medieval seja pano de fundo, o espetáculo tem contexto atemporal. A coreografia de Perry reúne elementos da dança, do teatro e da expressão corporal, amarrados por textos autorais. Em foco o corpo dinâmico em combate, propondo imagens intensas às cenas. Em D’arc, a mulher aparece inserida nas mazelas do mundo atual, questionando as relações humanas ceifadas pelo poder, pela inveja e pela solidão.

A criação de Garcia aborda Joana d’Arc como símbolo do sofrimento das mulheres acusadas de bruxaria na Idade Média. O nome ‘dark’, de escuro, é uma metáfora ao nome da heroína para trazer luz ao escuro da cena e refletir sobre uma cultura que ainda se faz presente. A sensação de ser queimado e a imagem sensorial desta ação trazem para a coreografia Dark o discurso ao qual se propõe. Manipulam-se corpos em cena enquanto o sofrimento e o aprisionamento também são manipulados. Enquanto a música lírica pontua a encenação de Dinah, musicais de Björk aparecem em coro, em forma de lamento, na criação de Garcia. As apresentações acontecem nos dias 5, 12, 19 e 26 de novembro, às 19h. O Espaço Capital 35 fica na Rua Capital Federal, 35 - Perdizes (Metrô Sumaré).

23 de outubro de 2017

Ni un hombre más


A película argentina "Ni un hombre más" ou "Nenhum homem a mais" (2012) é um emaranhado de risos. A comédia é bem escrita e tem humor refinado. Com uma excelente ideia original, há bons diálogos e soluções assertivas para todas as situações levando ao público à hilaridade. A trilha sonora é ótima. Na narrativa, Charly trabalha em um hotel no meio da selva, quando chega um casal, Karla e Ricky, com um cadáver e cem mil dólares. Charly vai querer tirar vantagem da situação, mas não terá nada fácil. Atentem-se às interpretações. Assista ao trailer!

20 de outubro de 2017

O bebê que não dormia e trocava a noite pelo dia

Foto: Xan

Depois do sucesso de seu monólogo cômico “Meu Trabalho é um Parto”, em que interpreta 12 personagens, a atriz e dramaturga Veridiana Toledo volta a narrar os apuros e os dilemas enfrentados por pais de primeira viagem na comédia musical infantojuvenil "O bebê que não dormia e trocava a noite pelo dia". Escrito em 2012, o texto é levemente inspirado na experiência pessoal da autora e do diretor Marcelo Galdino com o nascimento de seu filho Ian. Na história, um casal se envolve em uma grande aventura à procura de uma solução para regular o sono de seu bebê, que trocou a noite pelo dia, fato muito comum para recém-nascidos. Depois de pedirem ajuda a um galo tradicionalista, ao Sol, a uma coruja moderna e a um coral de bichos, papai e mamãe embarcam em uma viagem ao Japão. Eles acreditam que apenas o fuso horário será capaz de ajudá-los na luta por algumas horinhas de sono. O cenário é construído com objetos e instrumentos musicais, que adquirem diferentes funções de acordo com as demandas da encenação. Um carrinho, por exemplo, é usado ora como berço, ora como carrinho de bebê, ora como um avião. Uma caixa branca é usada para a projeção de sombras e para delimitar o espaço de representação. A temporada do espetáculo inicia 21 de outubro no Teatro Jaraguá que fica na Rua Martins Fontes, 71 - Centro. A peça tem suas apresentações todos os sábados e domingos, sempre às 16h.