18 de agosto de 2017

The Last Hangman


O drama biográfico inglês "The Last Hangman" ou "O lavador de almas" (2005) tem uma temática forte e muito bem abordada na película. Com excelente direção, o filme traz a angustia à flor da pele. O protagonista é intrigante e dicotômico. Aliás, impossível deixar de notar a excelente atuação de Timothy Spall. Há bons diálogos e a fotografia é feita sob medida. Na narrativa, Albert Pierrepoint (Timothy Spall) tentou evitar, mas terminou seguindo os passos de seu pai e tornou-se carrasco em 1934. Aos poucos seu conceito cresce, devido ao uso sofisticado e frio de seus métodos, o que o faz ser o mais respeitado e temido carrasco da Inglaterra. Quando abandonou a profissão, em 1956, Pierrepoint tinha mais de 600 execuções em seu currículo. Assista o trailer!

17 de agosto de 2017

Recital de piano e violão no CMB

Foto: Christian Maldonado

No dia 19 de agosto às 20h, o Centro de Música Brasileira (CMB) apresenta a pianista Maria Helena de Andrade e o violonista Paulo Porto Alegre (foto acima). No repertório obras de Chiquinha Gonzaga, Francisco Mignone, Guerra Peixe, Laurindo Almeida, Osvaldo Lacerda, Paulo Porto Alegre, Radamés Gnattali, Ricardo Tacuchian,Villa-Lobos e Zequinha de Abreu. As obras de Villa-Lobos farão referências ao alemão Bach, que o compositor considerava “o maior dos maiores dos mortais”; as de Camargo Guarnieri, ao russo Scriábin; as de Lacerda ao italiano Scarlatti e as de Mignone à música francesa. O recital festejará ainda o centenário do chorinho sapeca Tico-tico no Fubá de Zequinha de Abreu. Paulo Porto Alegre fará homenagem aos 100 anos de nascimento do compositor Laurindo Almeida. 



Maria Helena de Andrade é Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com tese sobre Francisco Mignone que escreveu uma Suíte especialmente para o assunto de sua tese. A apresentação é gratuita, então, anote aí: Dia 19 de agosto às 20h no Centro de Música Brasileira (CMB) que fica na Rua Ferreira de Araújo, 741 - Pinheiros - São Paulo.

16 de agosto de 2017

Iluminados

Foto: Divulgação

O Sesc Belenzinho inaugura, no dia 17 de agosto a exposição "ILUMINADOS - Experiências Pioneiras em Cinema Expandido". A mostra - com curadoria de Roberto Moreira S. Cruz - é uma antologia de obras pioneiras do cinema expandido, resultantes da experimentação da linguagem audiovisual, realizada entre os anos de 1960 e 1980, período em que os artistas se interessavam pelo entrecruzamento entre as artes visuais e o desenvolvimento das novas mídias. Segundo o curador, “ILUMINADOS" traz uma seleção de trabalhos, de fundamental importância histórica, que utilizam o cinema como forma de expressão artística, relacionando possibilidades de explorar os recursos da imagem em movimento, da linguagem audiovisual e os diversos dispositivos de projeção, elaborados pelos artistas no contexto embrionário da arte contemporânea”. Cinema expandido é o termo utilizado para tratar as muitas maneiras de trabalhar essa linguagem, ampliando-a e multiplicando-a para além da tela. Ao ser projetado em um espaço onde o espectador circula livremente, o filme ganha nova perspectiva, propondo narrativas descontínuas com outras formas de estímulos visuais e sonoros. E rompe com a obrigatoriedade de uma tela única e frontal, de um discurso audiovisual linear e sequencial. A exposição é composta por nove trabalhos que formam um mosaico de informação visual de artistas que pesquisavam essas interfaces, propondo formas originais, incomuns, não arbitrárias de criação, experimentando com a técnica e a forma da imagem e do som. Todas as obras foram produzidas em película. A mostra fica até o dia 15 de outubro, de terça a sábado, das 10h às 21h. Domingos e feriados, das 10h às 19h30 no Galpão e Espaço Expositivo do Sesc Belenzinho. O local fica na Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho – São Paulo.

15 de agosto de 2017

Autobiografia Autorizada

Foto: Mauro Kury

Paulo Betti é generoso ao dividir com sua audiência relatos simples, mas embasados com um amor tão profundo que delineou toda sua história em “Autobiografia Autorizada”. Não à toa, prova do ser humano interessante que se consolidou. Com um texto leve e cativante, o ator nos relata seus deliciosos momentos de infância até os dias atuais, com sua sólida carreira. Personagens encantadores arrebatam nossas emoções e ficamos desejosos de conhecer um a um: seja pela sua mãe benzedeira, seja por sua avó e seus ensinamentos pitorescos. O cenário é despretensioso, pois o foco é a narrativa. Contudo, ele é de uma eficácia e bom gosto singular. Sem falar nas fotos antigas que dão o toque final, como se fossem a cereja do bolo. A narrativa que por vezes convida o espectador a pura imaginação é recheada com detalhes primorosos que nos perdemos (ou nos encontramos) em nossas próprias infâncias. O texto tem força, mas também candura. Um luxo!

Betti interpreta histórias que viveu e ouviu na infância e adolescência. São passagens que ficaram registradas em sua memória e em anotações que fazia sobre tudo que acontecia à sua volta, em busca de compreender a própria vida. Os textos eram anotados em grandes blocos onde também fazia colagens de fatos da época. Este “livro” de memórias compõe a cena do espetáculo. A história dele começou no mundo rural onde o avô, um imigrante italiano, trabalhava como meeiro para um fazendeiro negro, em Sorocaba (SP). Paulo é o décimo quinto filho, temporão, com 10 anos de diferença do irmão mais novo. Um espetáculo que realmente vale à pena ser visto!


“Autobiografia Autorizada” fica no Teatro Vivo (Av. Dr. Chucri Zaidan, 2460. Vila Cordeiro. São Paulo/ SP) até o dia 1º de outubro todas às sextas (21h30), sábados (21h) e domingos (18h).

Em busca da viagem eterna

Foto: Divulgação

O BIKE se prepara para sua primeira turnê européia e apresenta seu segundo álbum, "Em Busca da Viagem Eterna", que traz sonoridade psicodélica sensorial e leva o ouvinte a uma viagem cósmico-caótica, guiada por letras lisérgicas, guitarras reverberadas e cheias de delay. O disco foi mixado e masterizado por Rob Grant que já trabalhou com artistas como Tame Impala e Miley Cyrus, no Poons Head Studio, na Austrália. A banda é composta por Julito (guitarra e voz), Diego Xavier (guitarra e voz), Rafa Bulleto (baixo e voz) e Daniel Fumega (bateria). A estreia do álbum acontece no Sesc Belenzinho no dia 18/08, às 21h. O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho – São Paulo.

14 de agosto de 2017

42,195


Com leve toque de humor, o autor de "42,195 - a Maratona de desafios que superei nos meus 42 Anos e 195 dias de vida por meio da corrida" relata sem firulas os seus conflitos e superação física e de saúde. O leitor não deve esperar uma literatura admirável nessas entrelinhas, mas há veracidade nelas. Fauzer Simão Abrão Júnior não se despe por completo, mas o que lemos já é o suficiente para se construir uma clássica narrativa de um destemido personagem. Há conflitos e dilemas claros, mas não emociona. Na narrativa, em 2 de dezembro de 2010, data em que o autor completou 42 anos e 195 dias de vida, ele escreve as últimas linhas do livro. Comparando a vida à uma ultramaratona, o livro relata as passagens marcantes e difíceis que ele viveu na primeira “Maratona” de sua vida, com o objetivo de eternizá-las. Tendo encontrado forças para vencer os desafios na corrida e no apoio da família, Fauzer conta as lições que aprendeu com as dificuldades superadas. "42,195" tem uma leitura clara e fácil.

11 de agosto de 2017

Jack the Giant Slayer


A aventura americana "Jack the Giant Slayer" ou "Jack, o caçador de gigantes" (2013) é, literalmente, uma aventura cem por cento do tempo. Além dos excelentes efeitos especiais, a história tem boa estrutura e envolve a audiência pela fantasia e fábula. Os personagens são clichês, claro, mas atende ao gênero proposto. Na trama, Jack (Nicholas Hoult) é um fazendeiro que adquire grãos de feijão com a única recomendação de que não devem ser molhados. Obviamente, isto acaba ocorrendo e criando um enorme pé de feijão que vai dar em um mundo de gigantes. Em meio a tudo isso, a princesa Isabelle (Eleanor Tomlinson) é sequestrada pelos gigantes e Jack se unirá ao Rei (Ian McShane) numa cruzada para a salvar a jovem. Assista o trailer!

10 de agosto de 2017

O Vendedor de Sacis & Outras Lorotas

Foto: Divulgação

Vicentini Gomez já representou centenas de personagens no teatro, na televisão e no cinema. E, depois do sucesso do italiano Giuseppe Cavichioli, seu personagem na novela Cúmplices de um Resgate (SBT), ele estreia a comédia infantil "O Vendedor de Sacis & Outras Lorotas" no dia 12 de agosto, às 16h, no Teatro Ruth Escobar. O espetáculo é um divertido passeio pelas lendas urbanas e pelo folclore brasileiro. José, ou simplesmente Zé, é um desses personagens que resolveu cair no mundo e conhecer as histórias, os causos e as lorotas de cada cidade que surge em seu caminho. Aventureiro e curioso, ele se mete em muitas enrascadas, deixando crianças e adultos curiosos para entender como ele se envolveu em tais aventuras, e encantados com a magia das personagens ao se livrarem de tantas encrencas. "O Vendedor de Sacis & Outras Lorotas" é carregado de humor e emoção: são chegadas e partidas, aventuras que só o carismático Zé sabe contar tão bem. O Teatro Ruth Escobar fica na rua dos ingleses, 209 - Bela Vista - São Paulo. A temporada tem apresentações aos sábados e domingos, às 16h.

9 de agosto de 2017

O ovo da serpente


A peça “O ovo da serpente” conta com uma ideia original ordinária e a narrativa é bem estruturada em seus dilemas crescentes e revelações apropriadas, contudo, a temática nazista inspirada e trabalhada, certamente, não aproxima a audiência do objetivo definido por tal inspiração. Seja pelo o assunto tão distante à atual realidade brasileira, seja por um assunto tão batido. Falta o sal do tempero. Entretanto, tal tônica goste o espectador ou não, entrega o que propõe. O texto é bom, mas ao se posicionar como visceral, por vezes força a barra e perde sua pujança. O diálogo restitui o que promete de maneira singular: muitas vezes são monólogos e repletos de eco. Aliás, diria que este é um ponto alto da dramaturgia. A cenografia é péssima. As atuações são nítidas e, em certos momentos, significativas.


Na trama, três personagens insólitos, Lascívia (Glória Rabelo), Jack (Zaqueu Machado) e Mike (vivido pelo próprio autor), fala de um assassino neonazista que convida um jovem psicopata para testar o caráter de sua esposa, uma ex-prostituta judia. No entanto, algo foge do controle. O espetáculo “O Ovo da Serpente”, de Rudson Mazzorana, está no Viga Espaço Cênico até o dia 27 de agosto, sempre aos sábados (às 21h) e domingos (às 19h). O Viga Espaço fica na Rua Capote Valente, 1323 – Pinheiros/ SP.

Boca de ouro

Foto: João Caldas

Dia 11 de agosto estreia no Teatro Tucarena o espetáculo "Boca de ouro" com direção de Gabriel Villela e texto de Nelson Rodrigues. "Boca de Ouro" é um lendário bicheiro carioca, figura temida e megalomaníaca, que tem esse apelido porque trocou todos os dentes por uma dentadura de ouro. Também é conhecido como o Drácula de Madureira. Quando Boca é assassinado, seu passado é vasculhado por um repórter. Sua fonte é dona Guigui, a volúvel ex-amante do contraventor, uma mulher que, ao longo da peça, revela diferentes versões do bicheiro. Dentro das iconografias do subúrbio carioca, Gabriel se utiliza da simbologia do Candomblé e das mascaradas astecas no espetáculo. A casa de Celeste e Leleco traz muitas representações de Orixás sincretizados. A figura de Iansã aparece toda vez que uma cena de morte acontece. Iansã faz a contrarregragem das mortes da estóriaO Brasil cabe todo nesta arena: a política, as narrativas contraditórias, a libido, a festa da gafieira, o jogo do bicho, a fé e a música. Retratos de uma época que nos mostram que o Brasil pouco mudou, e que nosso dramaturgo nascido em Pernambuco em 1912 e radicado no Rio de Janeiro, nunca foi tão atual. O Teatro Tucarena fica na R. Monte Alegre, 1024 - Perdizes, São Paulo - SP e o espetáculo acontecerá todas às Sex e Sáb 21h, Dom 18h30.

8 de agosto de 2017

Autobiografia Autorizada

Foto: Mauro Khouri

O ator Paulo Betti estreia o monólogo "Autobiografia Autorizada", no dia 11 de agosto às 21h30, no Teatro Vivo, em São Paulo. O espetáculo, dirigido pelo próprio ator em parceria com Rafael Ponzi, comemora os 40 anos de carreira de Paulo, que também assina o texto. No palco, Betti interpreta, com muito humor, histórias que viveu e ouviu na infância e adolescência. São passagens que ficaram registradas em sua memória e em anotações que fazia sobre tudo que acontecia à sua volta, em busca de compreender a própria vida. Os textos eram anotados em grandes blocos onde também fazia colagens de fatos da época. Este “livro” de memórias compõe a cena do espetáculo. O testemunho do ator, autor e diretor, que interpreta pai, mãe, avó e muitos outros personagens da própria vida, brinda o público com uma peça emocionante. Segundo Paulo Betti: “Minha fixação pela memória da infância e adolescência, passada num ambiente inóspito e ao mesmo tempo poético, talvez mereça ser compartilhada no intuito de provocar emoção, riso, entretenimento e entendimento”. O espetáculo será apresentado todas as sextas (21h30), sábados (21h) e domingos (18h) no Teatro Vivo que fica na Av. Dr. Chucri Zaidan, 2460 - Vila Cordeiro - São Paulo/ SP.

7 de agosto de 2017

Histeria


Escrita pelo inglês Terry Johnson e dirigida por Jô Soares, a comédia Histeria” além de trazer o riso fácil, faz a plateia pensar um pouco, mesmo que ela não queira. O texto é brilhante com seus pontos altos e dilemas crescentes. A direção virtuosa tem o time exato para a gargalhada escrachada e os momentos um pouco mais complexos com certa sobriedade. Também não podemos deixar de notar a produção primorosa. Cassio Scapin, como Salvador Dalí, faz uma interpretação singular. Na narrativa, ambientada na Londres de 1938, o psicanalista Sigmund Freud enfrenta um câncer terminal e anda amedrontado com a perseguição nazista aos judeus. Fixa, então, residência na capital inglesa para enfrentar essa dura fase. A pedido de um amigo, ele interrompe o sossego e recebe o pintor espanhol Salvador Dalí, curioso para estabelecer pontes entre o surrealismo e a mente humana. Como se não bastasse, uma aloprada moça implora por uma consulta, mas, na verdade, quer decifrar um segredo que envolve sua família. Tudo é observado por um médico judeu, encarregado da saúde do protagonista. Divertida e com conteúdo marcante, a peça vale à pena ser assistida. Recomendo!! A peça está em cartaz no Teatro Raul Cortez que fica na Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista.

Declínio de um homem


O livro "Declínio de um homem", de Osamu Dazai é denso, detalhista e apresenta um personagem riquíssimo sob o ponto de vista comportamental. O ritmo da leitura, por vezes, se arrasta, mas nada tira o brilho da obra. A curta passagem pela vida do escritor japonês Osamu Dazai — suicidou-se aos 38 anos de idade — não o impediu de se transformar num autor bastante popular. A obra sintetiza em cenas e passagens notoriamente biográficas muitas das angústias que tanto alimentavam a personalidade autodestrutiva do autor, a saber: a dificuldade de entendimento com seus familiares, sua antissociabilidade niilista, seu patológico apego ao álcool — vício do qual nunca conseguiu se livrar —, sua autoestima inexistente, enfim, sua evidente sensação de deslocamento em relação ao mundo — como se tivesse sido enviado à existência por mero descuido. O êxito editorial de "Declínio de um homem" talvez possa ser explicado pela maneira catártica com que Dazai escreve: diferentemente de seus pares mais tradicionais da literatura japonesa, em geral caracterizados pela sutileza e por tons etéreos. O autor, simplesmente, não se importa em trazer à tona fantasmas interiores obscuros. Sua escrita simplesmente angustia. e, talvez, por isso mesmo, seja tão raro.

4 de agosto de 2017

Take Care


A comédia romântica "Take Care" ou "Se cuida" (2014) tem uma boa ideia original, dilemas crescentes com conflitos naturais e verossímeis. Os diálogos são assertivos. A película é leve e gostosa de assistir, boa para aqueles momentos que não queremos filosofar sobre nada. A trama leva ao clímax e final com desenvoltura e perfeição. Na narrativa, após ser atropelada por um carro, Frannie passa um tempo no hospital e depois retorna para casa. Mas debilitada, ela precisa da ajuda de outras pessoas e inicialmente conta com os amigos, que aos poucos vão se afastando. Desesperada, ela pede ajuda ao seu ex-namorado, que agora tem uma nova namorada. Confira o trailer!

3 de agosto de 2017

Lasanha de berinjela

Foto: Tati Wexler

Estreia dia 5 de agosto "Pais e filhos" (ou Lasanha de Berinjela 1) e "Irmãos" (ou Lasanha de Berinjela 2), espetáculos que colocam em perspectiva relações familiares em estado de emergência e calamidade pública. A primeira peça do projeto é "Pais e filhos" (foto) e traz a tona um diálogo essencial entre um pai advogado e um filho artista plástico. As cobranças paternas, as expectativas dos pais em relação aos filhos e os diálogos ortodoxos entre eles vão se desenrolando a ponto deles decidirem deixar suas construções psicológicas de si de lado em busca de um desnudamento das próprias simbologias para uma tentativa de reconstrução dessa relação previsível e muitas vezes hipócrita. Numa espécie de ensaio teatral do encontro, eles buscam construir a relação de modo a não entrarem em conflito, ficando na linha tênue entre o que é ensaio do encontro e o que é de fato real nesse encontro. Já o segundo espetáculo, "Irmãos", traz um conflito entre a relação paradoxal de uma dupla de irmãos que perdeu os pais em um acidente de automóvel quando ele era bebê e ela pré-adolescente. Ele hoje é escritor e financeiramente está falido, mas continua tentando viver de literatura, mesmo que financiado pela irmã que apesar de também ser escritora exerce a profissão de professora de português na rede pública de ensino. Ao completar seus 33 anos de idade, ele escreve um livro que pensa que poderá lhe trazer independência financeira e passa a ser sua grande aposta: trata-se da história de uma escritora fracassada e frustrada inspirado justamente na história de sua irmã. As peças serão apresentadas na SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210, metrô República. "Pais e filhos" de 7 de agosto a 25 de setembro, todas as segundas às 21h. Já "Irmãos" de 5 de agosto a 17 de setembro, sábado às 21h e domingo às 20h.

2 de agosto de 2017

Pés Pequenos contra bullying

Foto: Bruno di Torino

Estreia no dia 5 de agosto no Teatro Décio Almeida Prado o espetáculo infantil "Pés Pequenos contra bullying". A peça levanta uma questão muito presente em nossa sociedade: o bullying e suas implicações. São muito recorrentes os casos de discriminação racial, de gênero, sexualidade, classe social, entre outras situações. O tema polêmico motivou "Grupo Salto Fino" a uma verdadeira imersão através de laboratórios e pesquisas de campo com psicólogos e educadores infantis. Na narrativa, Gui, uma menina diferente, divertida e órfã, embarca em uma aventura ao fugir da casa da tia malvada com seu melhor amigo Marlon Lu, um pássaro que foi expulso do próprio bando, por não saber voar nem cantar. Abrigados no Lar Pés Pequenos, Gui é obrigada a entrar na rotina das outras crianças e encontra dificuldades de adaptação na escola nova, onde Henrique Junior (um garoto muito encrenqueiro que sofre de complexo de superioridade) passa o tempo praticando bullying contra outras crianças da classe como Babalu  (uma menina comilona), Celeno (um menino afro descendente que adora colecionar figurinhas) e Olegário (um menino paraplégico que é muito rápido). Ao longo do ano passado, o espetáculo foi apresentado para crianças e jovens residentes de casas de acolhimento em regiões de vulnerabilidade social de São Paulo. A peça faz curtíssima temporada popular no Teatro Décio de Almeida Prado até o dia 27 de agosto. O teatro fica na Rua Cojuba, 45 - Itaim Bibi - São Paulo. O espetáculo acontecerá todos os sábados e domingos, às 16h.

1 de agosto de 2017

São Paulo Refúgio

Foto: Vitor Manon

"São Paulo Refúgio" estreia dia 3 de agosto na Funarte. O projeto tem como objetivo principal dar voz e criar espaços para o diálogo com a população de refugiados da capital paulista. Foram desenvolvidas diversas ações culturais, como laboratórios teatrais direcionadas a imigrantes e refugiados, rodas de conversa e festas temáticas em parceria com instituições como o Grupo​ de Refugiados e Imigrantes Sem-teto de São Paulo, Mesquita do Pari, Oásis Solidário, MSTC, Museu da Imigração, Adus e Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes. Ações, essas, que deram origem ao espetáculo teatral. A peça tem três movimentos que retratam diferentes momentos do processo de mudança vivido por refugiados que chegam ao Brasil. No Movimento I, A Vida e Guerra, é abordado o período anterior à migração, quando situações de violência, vulnerabilidade e miséria modificam profundamente a realidade de um país e acabam provocando movimentos migratórios forçados. No Movimento II, A Mudança, são retratadas as dificuldades do processo de travessia e da busca por um novo país. Por fim, em Cultura em Choque, o Movimento III, são abordadas as dificuldades de integração e o choque cultural sofrido por imigrantes e refugiados ao se depararem com a realidade brasileira. A Temporada vai até o dia 27 de agosto, todas as quintas, sextas e a sábados às 21h e domingos às 20h. A Funarte fica na Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos​.

31 de julho de 2017

A águia e a galinha


Com um ritmo excelente, a leitura de "A águia e a galinha - Uma metáfora da condição humana", de Leonardo Boff, é clara e efetiva no contexto e assunto que aborda. As nuances literárias são fortes e imprime entrelinhas singulares. Traz o leitor a uma reflexão bem particular, mas ao mesmo tempo, usual entre tantos esteriótipos e metáforas apresentadas. No contexto e na proposta de conteúdo: cada um hospeda dentro de si uma águia. Sente-se portador de um projeto infinito. Quer romper os limites apertados de seu arranjo existencial. Há movimentos na política, na educação e no processo de mundialização que pretendem reduzir-nos a simples galinhas, segundo o autor, confinadas aos limites do terreiro. Como vamos dar asas à águia, ganhar altura, integrar também a galinha e sermos heróis de nossa própria saga? Este livro de Leonardo Boff sugere caminhos, mostra uma direção e projeta um sonho promissor. Uma excelente leitura. Mais que recomendo!

28 de julho de 2017

The Croods

 

A animação "The Croods" ou "Os Croods" (2013) tem uma ideia original instigante. A história é encantadora e emociona. Os diálogos são verossímeis e não podemos deixar de notar uma boa dosagem de humor. Além de tudo isso, há de se constatar uma trilha sonora tocante. Na narrativa, em plena era pré-histórica, escondidos na maior parte do tempo dentro de uma caverna, vivem Grug (Nicolas Cage / Hércules Franco), a esposa Ugga (Catherine Keener / Bárbara Monteiro), a vovó (Cloris Leachman / Mariângela Cantú), o garoto Thunk (Clark Duke / Fred Mascarenhas), a pequena e feroz Sandy (Randy Thom / Pâmela Rodrigues) e a jovem Eep (Emma Stone / Luísa Palomanes). Eles são os Croods, uma família liderada por um pai que morre de medo do mundo exterior. Só que grandes transformações estão para acontecer, pois a adolescente Eep acaba conhecendo o também jovem Guy (Ryan Reynolds / Raphael Rossatto) e ele vai apresentar um incrível mundo novo, para o desespero do paizão protetor. Agora, juntos, eles vão enfrentar grandes desafios e se adaptar a uma nova e divertida era. Uma graça de película e, porque não dizer: apaixonante! Assista o trailer.


27 de julho de 2017

O Terno


De cara, o nome da banda é uma delícia: "O Terno". O grupo me chamou atenção pela sua originalidade de timbres, depois, pensando um pouco mais vi a estética autoral pulsante. Fui pesquisar e os caras são premiadíssimos: Tim Bernardes (guitarra e voz), Guilherme d'Almeida (baixo) e Biel Basile (bateria). É meio experimental, mas ao mesmo tempo contagia com algum elemento inexplicável e, coincidentemente, conhecido. Deve ser o balanço e vibrações positivas. Já virei fã deles! Assista o videoclipe "Culpa" e viagem no entusiasmo dos caras, pois vale à pena.



26 de julho de 2017

Além da imagem

Foto: Lenise Pinheiro

A peça "Além da Imagem" aproxima Marilyn Monroe e Tchekhov no auditório do Sesc Ipiranga. A atriz Marília Moreira apresenta monólogo que contrapõe a figura sexy de Marilyn com a personalidade igualmente ingênua e sonhadora. O espetáculo estreia dia 28 de julho no auditório do Sesc Ipiranga. "Hoje eu sei que na minha profissão, o que importa não é a imagem, a fama, a glória com que eu tanto sonhei, mas a possibilidade de investigar a essência humana e quem sabe, quem sabe, ajudar as pessoas a viverem melhor. Os homens estão indo à lua, mas ninguém parece interessado no coração humano pulsante", cita Marilyn em trecho do monólogo. Em oposição à imagem de loura exuberante e símbolo sexual, havia na figura de Marilyn Monroe uma aura de menina vulnerável e inocente que nunca conseguiu equalizar suas angustias pessoais. O Sesc Ipiranga fica na Rua Bom Pastor, 822, em São Paulo. A temporada vai de 28/07/2017 até 20/08/2017, sexta-feira 21h30, sábado 19h30 e domingo 18h30.

25 de julho de 2017

A plenos pulmões

Foto: João Caldas Filho

Dia 28 de julho estreia o espetáculo "A Plenos Pulmões" que traz a poesia e a prosa de Maiakóvski, o poeta da Revolução. Luciano Chirolli e Georgette Fadel integram o elenco do espetáculo. O projeto oferece um ciclo de 4 palestras sobre o período histórico que compreende a Revolução Russa e o Teatro que se criou naquele momento. As palestras serão acompanhadas por ensaios abertos do espetáculo. O nome do espetáculo vem do poema homônimo de Maiakóvski – seu ultimo poema onde ele se dirige à posteridade afirmando o poder de seus versos. “A Plenos Pulmões” acontece no Centro Cultural Banco do Brasil que fica na Rua Alvares Penteado, 112 – Centro - SP. A temporada acontecerá até o dia 18 de setembro, às sextas, sábados e segundas às 20h e domingos às 19h. Nos dias 4, 18 e 25 de agosto e 8 de setembro , as apresentações serão acompanhadas por Tradução para Língua Brasileira de Sinais (Libras).

24 de julho de 2017

Verdadeiros dorminhocos


Além de dormirem 2/3 do dia, um gato faz cerca de 100 sons diferentes. Ou seja, em 9 anos de vida, os gatos ficam acordados 3 anos e, se comparados aos cães, eles tem 10 vezes mais sons do que os cachorros, que fazem cerca de 10. 

De acordo com uma lenda hebraica, Noé rezou a Deus para que Ele o ajudasse a proteger a comida dos ratos na arca. Deus fez um Leão espirrar, e desse espirro nasceu o gato. Bem interessante e imaginativo tal lenda, diria! Mas as curiosidades desses quadrúpedes não param por aí, o cérebro de um gato é biologicamente mais similar ao de um humano do que o cérebro de um cão. É comprovado que humanos e gatos têm uma região idêntica no cérebro responsável pelas emoções. Mais um motivo para não só respeitá-los e admirá-los, mas amá-los com todas as nossas forças e em nossa plenitude. Atualmente existem mais de 500 milhões de gatos domésticos no mundo, e aproximadamente 40 raças reconhecidas. E, dizem, que o gato doméstico mais antigo foi encontrado numa sepultura no Chipre com mais de 9000 anos.


Mas, se no passado eram tão adorados, porque insistimos em deixar tantas dessas bolas de pelos na rua? E, se cada um fizesse uma pequena contribuição? Doe para esta causa e convide seus amigos. Entre no link da campanha “Gatil Você Feliz” e contribua: https://www.kickante.com.br/campanhas/gatil-voce-feliz. Espalhe amor e esperança pelo mundo!

Eram os deuses astronautas?


O autor numa pesquisa sólida e séria nos convida a questionar vidas fora da terra, e, mais que isso de que o contato entre os E.T.s (ou astronautas) e humanos já aconteceu, desde o nosso passado longínquo. Não fica em teorias conspiratórias ou versões da nossa cinematografia, Danken comprova tudo o que diz cientificamente: com fatos, números e objetos. Um primor de detalhes e informações. A leitura é fácil, clara e tem ritmo. Não conseguimos parar de ler e não  vemos a hora de concluir envolvente leitura. Um livro atraente e de leitura clara. No conteúdo ele defende a existência de outros seres inteligentes no universo e propõe que extraterrestres tenham trazido grandes conhecimentos à Terra. A evidência disso estaria nos achados arqueológicos, monumentos antigos, mapas e outras marcas. Intrigante!


21 de julho de 2017

Bartók in Rock

Foto: Leandro Almeida

A banda paulistana "Dialeto", que lança seu quarto álbum "Bartók in Rock", apresenta-se no Sesc Belenzinho com participação especial de David Cross, lendário violinista da King Crimson. Os shows acontecem nos dias 21 e 22 de julho, às 21h, no Teatro da unidade. O repertório do show traz, além das músicas do novo disco, alguns sucessos dos anos 70, da King Crimson, clássico grupo inglês que nunca se apresentou no Brasil. No álbum, a Dialeto interpreta temas do compositor erudito Béla Bartók, adaptadas para a formação de rock, com participação especial do violino de David Cross. O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000, em São Paulo (SP).

O poeta pop voltou como dublê


Em 1990, Marcelo Brito Girard não imaginava chegar tão longe  quando publicou seu primeiro livro de poesias: "O dente cariado de Cristo." O poeta causou grande polêmica na região da Zona Oeste do Rio, sendo manchete nos principais jornais com o título de "mais um escritor maldito." O poeta foi carimbado pelo público de pop ao realizar performances curiosas e excêntricas como sair de um caixão no "Festival nacional de poesia" no Circo Voador lendo "Não vou ao meu enterro", seu poema mais conhecido. Após 9 anos lançou "Raivódio - Poesia Mix" e fecha a trilogia em 2005 com "O perfume do átomo". O poeta pop continua chamando a atenção dos jovens leitores em escolas, eventos culturais por onde passa com o sarau poesia mix, com suas performances teatrais e sua voz de locutor. Seu próximo livro "Dublê de figurante" promete. Aguardemos, então, as novidades deste lançamento!

20 de julho de 2017

O Ovo da Serpente

Foto: Ricardo Peres

Com direção de André Grecco, o espetáculo "O Ovo da Serpente", de Rudson Mazzorana, estreia no dia 5 de agosto no Viga Espaço Cênico, às 21 horas. A trama – que apresenta três personagens insólitos: Lascívia (Glória Rabelo), Jack (Zaqueu Machado) e Mike (vivido pelo próprio autor) - fala de um assassino neonazista que convida um jovem psicopata para testar o caráter de sua esposa, uma ex-prostituta judia. No entanto, algo foge do controle. Lascívia e Jack moram em uma espécie de casa-laboratório e, assombrados pelo passado, vivem uma relação que oscila entre poder e submissão, sanidade e loucura. Ela, convertida ao catolicismo, é uma prisioneira de portas abertas que guarda em uma caixa vermelha segredos e confissões. Jack, por sua vez, é médico, um assassino de aluguel integrante de uma facção neonazista empenhada na higienização de raças, utilizando os seres “inferiores” como cobaias em experimentos médicos. Jack se sente inseguro por estar envelhecendo e perdendo a força física. Com o intuito de colocar à prova o caráter e a cumplicidade de sua mulher, ele introduz o jovem Mike em suas vidas. Invasivo, ácido, perverso e astuto como uma raposa, Mike não se limita apenas a infernizar a vida de Lascívia e testar seus limites: invade ferozmente a intimidade do casal, mexendo com os brios do assassino de aluguel. O que era para ser um simples teste torna-se um pesadelo. Utilizando a mesma premissa nazista, abraçada por Jack e abominada por Lascívia, o misterioso e psicopata Mike resolve seguir adiante com seu plano de vingança. Atormentado, o rapaz usa de toda a perversidade para se vingar do casal, prendendo-os em um sádico jogo psicológico. A Viga Espaço Cênico (Sala Viga) fica na Rua Capote Valente, 1323 – Pinheiros/ SP.

19 de julho de 2017

Fábio Magalhães


A Caixa Cultural São Paulo inaugura, no dia 29 de julho, às 11 horas, a exposição "Além do Visível, Aquém do Intangível", que reúne a produção artística mais significativa do baiano Fábio Magalhães, desenvolvida entre 2007 e 2017. A mostra, que tem curadoria de Alejandra Muñoz. O evento de abertura conta ainda com lançamento de um livro que reúne obras do artista, produzidas ao longo de 10 anos, e uma visita guiada pelo próprio Magalhães, seguida pela mesa redonda "As Matrizes Tradicionais da Arte e a Pintura Contemporânea" com participação da curadora e do crítico de arte Jorge Coli. "Além do Visível, Aquém do Intangível" apresenta 25 trabalhos de óleo sobre tela em grandes formatos,distribuídos em cinco séries: O Grande Corpo, Retratos Íntimos, Superfícies do Intangível, Latências Atrozes e Limites do Introspecto. As obras de Fábio Magalhães surgem de metáforas criadas a partir de pulsões, das condições psíquicas e substratos de um imaginário pessoal, até chegar a um estado de imagem/corpo. Os resultados são obtidos por meio de artifícios que nascem de um modus operandi que parte de um ato fotográfico e materializa-se em pintura. O artista apresenta encenações meticulosamente planejadas, capazes de borrar os limites da percepção, configuradas em distorções da realidade e contornos perturbadores. A Caixa Cultural São Paulo fica na Praça da Sé, 111 – Centro - São Paulo.

18 de julho de 2017

Aniversário das Coisas Não Feitas

Foto: Caio Oviedo

"Aniversário das Coisas Não Feitas" estreia 19 de julho e faz temporada no Centro Compartilhado de Criação, Oficina Oswald de Andrade e Armazém XIX. Luiza é a personagem que conduz a obra, trazendo consigo as marcas de um abraço não dado.  A partir deste "não feito emocional", o espetáculo expõe frustrações e desistências como atos a serem comemorados. Em cena as atrizes Daniela Schitini e Elaine Belmonte, a acordeonista Camila Borges e a chefe de cozinha Simone Borsolari dividem o palco criando um ambiente permeado por cheiros, memórias e sensações. A comida preparada e servida durante o espetáculo torna-se também dramaturgia e é um dos elementos explorados pela diretora-coreógrafa Vann Porath que busca em seus processos composicionais a integração entre diferentes linguagens. Na sequência, o espetáculo se apresenta na Oficina Cultural Oswald de Andrade e Armazém XIX. Na trama, eram só alguns passos, bastava andar um pouquinho. Luiza não andou. Em seus joelhos dois hematomas e mais uma história se perdia. Ela não foi até a varanda, não falou com ele, nem se despediu. O que você não fez mas ainda pode fazer? O que você teve a sorte de não fazer?  E se hoje fosse um dia para comemorar tudo aquilo que você não fez? O espetáculo "Aniversário das Coisas Não Feitas" é nas palavras da atriz Isabel Teixeira "uma comemoração em fragmentos" que mescla memórias pessoais, histórias inventadas e cenas escritas pelo desenho dos corpos no espaço. O Centro Compartilhado de Criação fica na Rua Brigadeiro Galvão, 1010 - Barra Funda - São Paulo - e o espetáculo vai até o dia 02/08 - Quartas às 21h.


17 de julho de 2017

Somos todos irmãos



As reflexões autobiográficas de Mahatma Gandhi estão no livro "Somos todos irmãos". Vários séculos podem transcorrer até que apareça um grande mestre. Neste livro há uma seleção de seus discursos e escritos, compiladas com grande cuidado e discernimento por Sri Krishna Kripalani, dando ideia dos pensamentos e convicções de Gandhi. Um ser iluminado que passou a vida buscando incessantemente a verdade, nos faz refletir sobre cada assunto a medida que avançamos na leitura. Uma leitura fácil, com dizeres eficazes onde o que ele mais prega é o amor e a não-violência. Para quem está numa trajetória de descoberta interior, mais que indico.

14 de julho de 2017

Dexter em “Flor de Lótus"

Foto: Fabio Terral

Ex-integrante do grupo 509-E, o rapper Dexter retorna a São Paulo para única apresentação da turnê de lançamento de “Flor de Lótus”, disco que lançou em 2016 repleto de participações especiais de nomes como Ed Motta e Péricles, onde contou, através das canções parte de sua história de vida. No show que chega ao Teatro Itália no dia 18 de julho, às 21h, o rapper expande as histórias e aborda temas como o período que passou “exilado” – em sua própria definição – no regime prisional. Entre uma canção e uma história, Dexter propõe a discussão acerca do regime carcereiro no Brasil. O show, que já virou DVD, gravado ao vivo no Auditório do Ibirapuera, é também uma comemoração a seus 27 anos de carreira. O show que realiza no projeto “Terças Musicadas” faz parte das comemorações. O Teatro Itália fica na Av. Ipiranga, 344 – República - São Paulo.

13 de julho de 2017

Primeiramente


No dia 15 de julho, às 16h na Sensorial Cerveja, Café & Discos será lançado o livro "Primeiramente". A obra reúne 17 contos, de 17 autores, todos ambientados em uma manifestação contra o governo Temer na Avenida Paulista.  Os autores, de diferentes estilos, criaram uma galeria de personagens igualmente heterogênea. Tem catador de latinha, black block, garoto de programa, seres extraordinários, idoso com Alzheimer, militar na ativa e aposentado, gente que foi à manifestação por românticas razões pessoais, desavisados que se viram, sem querer, em meio à confusão, e ainda quem fez sua estreia em manifestações, além de personagens como uma mosca, um museu e um deus. A obra foi organizada pelas também autoras Sonia Nabarrete e Vanessa Farias. O Sensorial Cerveja, Café & Discos fica na Rua Augusta, 2389 - São Paulo - SP.


12 de julho de 2017

Clube de Leitura

Foto: Mario Miranda Filho

A quinta edição do Clube de Leitura do Sesc Belenzinho tem o próximo encontro com o escritor Marcelino Freire, no dia 13 de julho das 20h às 21h30. O livro que será abordado, na ocasião, é "Desde que o Samba é Samba", do carioca Paulo Lins. O autor nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1958 e é graduado em Letras pela UFRJ. Morador da Cidade de Deus começou como poeta, integrante da Cooperativa de Poetas, por onde publicou seu primeiro livro, em 1986, "Sobre o Sol". Mas foi em 1997, com "Cidade de Deus", que veio a fama, ainda mais após a adaptação cinematográfica pelo diretor Fernando Meirelles, com quatro indicações ao Oscar. Já em 2012, lançou "Desde que o Samba é Samba" que recria ficcionalmente a invenção do samba por músicos do bairro carioca Estácio, na década de 1920. Já Marcelino Freire é natural de Sertânia, PE. Viveu no Recife e, desde 1991, reside em São Paulo. É autor, entre outros, dos livros "Angu de Sangue" e "Contos Negreiros". O Clube de Leitura é uma série de encontros mensais em que os leitores se reúnem para conversar sobre livros sugeridos pelos participantes, em parceria com o Sesc. No decorrer do ano, os convidados selecionam os livros que são temas das conversas. A entrada é franca e o evento acontece na Biblioteca da unidade.


11 de julho de 2017

A cabala do dinheiro

Foto: Heloisa Bortz

Estreia hoje no estreia no Teatro Eva Herz o espetáculo "A cabala do dinheiro". Trata-se de uma livre adaptação do livro homônimo de Nilton Bonder. Centrada nessa obra, a dramaturgia também traz inspirações dos outros dois títulos de Bonder que compõem a trilogia da Cabala (A Cabala da Inveja e A Cabala da Comida), escrita a partir da seguinte máxima judaica: “Uma pessoa se faz conhecida através de seu copo, bolso e ódio.” Na narrativa, num mundo onde os preços parecem se sobrepor aos valores, o dinheiro perde seu significado. Em meio a esse complexo tema, um casal de atores-narradores propõe um negócio entre si e com o público. Adentrar neste rico pomar que são as transações entre os valores humanos, em busca da compreensão do que está por detrás dos mistérios que envolvem o mercado e o dinheiro em nossas vidas. O mais longo dos caminhos é o que leva do coração ao bolso. A peça é uma discussão ética sobre a mágica das trocas humanas. Se, por um lado o dinheiro é elemento que promove relações perversas e idólatras, não só quando adorado mas também quando desprezado, por outro, é elemento de expansão de mercados e permite uma grande sofisticação nos vínculos da malha da vida. O Teatro Eva Herz fica na Av Paulista, 2073 – Conjunto Nacional e as apresentações acontecem às terças e quartas-feiras, às 21h.

10 de julho de 2017

Deixando para trás


Oi pessoal, gostaria de convidar a todos para ir no próximo dia 16 de julho de 2017 ao lançamento do meu livro infantojuvenil “Deixando para trás - Uma história de esperança e futuro para uma criança refugiada” na Livraria Martins Fontes Paulista a partir das 16h. O livro será lançado pela Franco Editoratem minha autoria e ilustrações de Vanessa Alexandre. A livraria fica na Av. Paulista, 509 – Bela Vista – São Paulo – SP. Para aqueles que não sabem, a história do livro pedia urgência em sua produção, pois tratava-se de um tema bem atual. Se eu corresse atrás de alguma editora, provavelmente não teria a obra publicada em tempo hábil, quiçá, se conseguisse publicá-la. Assim, tive a ideia de montar uma campanha de crowdfunding para angariar dinheiro para produzir o livro. Me dediquei arduamente por três meses para conseguir a quantia para pagar aos profissionais envolvidos e produzi-lo. Apesar de todo o meu esforço não consegui arrecadar o valor para produzir o livro. Mas logo veio a boa notícia: o livro “Deixando para trás” foi acolhido pela Franco Editora e em tempo recorde seria lançado no mercado. A Franco Editora não só entendeu a urgência da obra, mas sua importância. Na trama, abordo o tema de xenofobia e o problema do assentamento de refugiados. Kiara e seus colegas terão que fazer uma apresentação para a professora sobre o tema. A turma vai receber um colega refugiado da Síria. E o que é refugiado? Zayn entra na sala com o olhar perdido e ombros caídos, peso da vivência de uma tragédia humanitária em plena infância. Nessa trajetória de inúmeras descobertas, o que os dois não consideram é que se tornarão melhores amigos. E, mais do que isso, descobrirão na prática o que é essa tal de xenofobia. O livro “Deixando para trás” trata-se de uma história de esperança e futuro para uma criança refugiada no Brasil que fala de amor ao próximo e acolhimento. Espero ver vocês lá!

7 de julho de 2017

Livro de Ouro

Foto: Daniel Spalato

Com texto de Geraldo Rodrigues e Luciana Esposito e direção de Geraldo Rodrigues, o espetáculo infantil "Livro de Ouro" traz no elenco os atores Erica Ribeiro, Daniel Costa, Luciana Esposito e Gutto Szuster. "Livro de Ouro" reestreia dia 8 de julho no Teatro Arthur Azevedo. O espetáculo é a fonte de toda inspiração, criatividade e imaginação de uma peculiar e apaixonante cidade chamada Livrópolis. Devido a um breve descuido, o Livro desaparece e todas as suspeitas recaem sobre a doce e divertida protagonista, Sofia (Erica Ribeiro). Acompanhada de seu atrapalhado amigo de quatro patas, Millôr (Daniel Costa), nossa heroína decide fugir da cidade e se livrar, de uma vez por todas, do problemão em que se meteu. É nesse impulso fugitivo que Sofia e Millôr viverão a maior aventura de suas vidas, contando com a ajuda de personagens mágicos e misteriosos que lhes ensinarão lições valiosas que mudarão suas vidas para sempre. O espetáculo acontece aos sábados e domingos às 16h no Teatro Arthur Azevedo – Av. Paes de Barros, 955 - Mooca, São Paulo.

6 de julho de 2017

On Love

Foto: Henrique Resende

"On Love" traz um olhar não convencional sobre o amor. O tratamento dado ao tema, nesta obra, foge do que poderia ser tachado como demasiado comum e esgotado e aponta um movimento contrário, de inquietação e provocação para um olhar mais sensível e humano face à frenética contemporaneidade. A estreia acontece no dia 7 de julho no Teatro Cacilda Becker. O espetáculo, construído por narrativas em primeira pessoa, propõe uma forma muito simples e se apoia na relação próxima e direta entre o espectador e a matéria narrada, provocando uma escuta silenciosa, porém participativa, sobre aspectos íntimos e moventes das relações. Seguindo essa atmosfera íntima, o diretor Francisco Medeiros optou por deixar a plateia no palco, portanto mais próxima dos atores. Motivados pelo processo de trabalho de Mick Gordon, que construiu esta obra em sala de ensaio, a Cia Barracão Cultural se lançou em uma proposta de co-autoria, na qual os atores trouxeram depoimentos próprios ou de outras pessoas para a sala de ensaio. Parte deste material integra o texto final, que se configurou como uma mistura de narrativas oriundas do texto original de Mick Gordon com as narrativas Brasileiras. A temporada acontecerá de 07 a 30 de julho - Sexta e sábado às 21h e domingo 19h no Teatro Cacilda Becker - R. Tito, 295 - Lapa, São Paulo - SP.

5 de julho de 2017

Bug Chaser – Coração Purpurinado

Foto: Alice Jardim

O espetáculo "Bug Chaser – Coração Purpurinado" estreia amanhã na Oficina Cultural Oswald de Andrade. A peça gira em torno de Mark (interpretado por Ricardo Corrêa – que também assina a dramaturgia). Mark está em uma quarentena sendo analisado por uma voz, um programa de inteligência artificial. Em fragmentos e saltos atemporais, a peça conta a saga desse homem, um advogado criminalista que busca se infectar propositalmente, uma subcultura pouco discutida na comunidade LGBT contemporânea. A direção é de Davi Reis. “Falar de bareback, de um homem a procura de um vírus e de toda uma sociedade deteriorada, é trabalhar num universo particular que não deve ser entendido cartesianamente e requer cuidado para não reforçar preconceitos. O nosso desafio foi se debruçar sobre esse texto que trata de escolhas radicais e no trabalho do ator criador que lida com um personagem de extremos. Aqui, a luta contra a biopolítica impositiva e em estar fora da caixa social em que estamos automaticamente submetidos é levada ao limite. A partir da verticalização profunda no universo LGBT - abrangendo desde a sua subcultura até o mais violento preconceito sofrido - e a busca por ressignificações de lugar no mundo, pretendemos trazer questionamentos para além da simples reflexão e julgamento”, diz o diretor Davi Reis. A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363-Bom Retiro. A temporada vai até o dia 5 de agosto, quintas e sextas às 20h, e, sábados às 18h.