18 de outubro de 2017

Rolê

Foto: Edson Kumasaka

O espetáculo jovem "Rolê" se apresenta dias 19, 20 e 21 de outubro na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Contemplado pela 30ª edição do Programa Municipal de Fomento ao teatro para a Cidade de São Paulo, a companhia também prepara uma residência para mostrar o repertorio, celebrar o passado e estrear um novo espetáculo. Parte da mostra de repertório, o espetáculo jovem “Rolê” de Tuna Serzedello, faz 3 apresentações com entrada franca e ingressos distribuídos 1 hora antes do início das sessões. A comédia traça um panorama sobre as dificuldades da definição da sexualidade. Na narrativa, Bruno falhou com Andréia. Carina sugere que ela experimente com garotas. Felipa namorava com Letícia. Tomás namora Felipa e quer fazer uma noite a três. Bruno consegue com Carina e com Tomás. Um vídeo íntimo acaba parando no celular de todo mundo. A coordenadora não consegue compreender tantas relações. A peça se apresenta às 20h no Oficina Cultural Oswald de Andrade que fica na Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro - São Paulo.

17 de outubro de 2017

Precisa-se de Compositor com Experiência

Foto: Jonathan Silva

O Grupo Folias d'Arte é um grupo teatral que durante 20 anos de existência recebeu reconhecimento de público e crítica e com aproximadamente 50 prêmios, entre eles: Prêmio Shell, Prêmio APCA, Prêmio Molière, incluindo a participação e representação do Brasil no FITEI, Festival Internacional de Expressão Ibérica, na cidade do Porto, em Portugal, no MITE, Mostra Internacional de Teatro, em Lisboa e em Havana, Cuba, Festival Internacional de La Habana. Por falta de verba e de incentivos públicos, o espaço corre o risco de fechar. Em virtude disso, o grupo lança uma programação de Estado de Emergência, com diversas atividades que visam arrecadar fundos para a manutenção do espaço. O Galpão do Folias é um espaço de resistência que abarca apresentações e diversas atividades das mais diversas linguagens, nacionais e internacionais, como também atividades de formação e reflexão. 

E hoje, tem inicio as apresentações com o espetáculo "Precisa-se de Compositor com Experiência". O trabalho do músico capixaba paulistano Jonathan Silva traz canções inéditas que narram histórias. Histórias de personagens comuns e ao mesmo tempo inusitadas. Figuras que poderiam passar despercebidas, mas que são fisgadas pelo olhar atento do compositor, com doses de lirismo, humor e ironia. A inspiração pode vir de uma imagem, de um texto, de uma placa de “precisa-se”. Histórias de gente que passa pela Rua Glete a caminho do metrô e se depara com um músico tocando violino. Histórias que falam do amor que vira azia, que vira rancor, que vira nostalgia. Da moça de Band-Aid dentro do trem, cheia de semitons, e que confunde coco com carimbó. As narrativas têm como pano de fundo arranjos inspirados que transitam por diversos gêneros explorando uma gama de timbres: samba com viola e bateria, coco com pífanos, bolero–chiste com rabeca e guitarra. 

Mas a programação do Estado de Emergência não para por ai, confira abaixo todos os espetáculos?

Show “Precisa-se de Compositor com Experiência” (Jonathan Silva)
17 de setembro, domingo, 20h

Carne (Kiwi Cia. de Teatro)
21 de setembro, quinta, 21h

Baderna (Núcleo Bartolomeu de Depoimentos)
23 e 24 de setembro, sábado às 21h e domingo às 20h

Afinação I (Georgette Fadel)
25 de setembro, segunda, 21h

Ensaio aberto: Medea Mina Jeje
26, 27 e 28 de setembro, terça a quinta, 21h

O Galpão do Folias fica na Rua Ana Cintra, 213 - Santa Cecília - São Paulo (ao lado do metrô).

16 de outubro de 2017

Oranges and Sunshine


A história de "Oranges and Sunshine" ou "Laranjas e Sol" (2011) é ao mesmo tempo sensível, tocante, mas revoltante. O título é poético. O tema é um assunto que, mesmo com o passar dos anos, incomoda até hoje. O drama é real e profundo. A película tem uma bela fotografia e uma interpretação assertiva de Emily Watson. Na narrativa que é baseada em fatos reais, o filme conta a história de Margaret Humphreys, uma assistente social do Reino Unido responsável por descobrir um dos maiores esquemas de tráfico infantil da Europa, envolvendo o governo da Grã-Bretanha, que deportava crianças pobres de maneira forçada para países como a Austrália e o Canadá. Imperdível! Confira o trailer.

13 de outubro de 2017

Mulan


A animação "Mulan" (1998) traz a história de uma heroína às avessas contada com humor e, sobretudo, respeito à cultura chinesa. Os personagens são cativantes e bem construídos sem permear o clichê dos seus oficios. A trilha sonora é linda! Colorida e simpática, a narrativa nos fala sobre quando os mongóis invadem a China. O imperador decreta que cada família ceda um homem para o exército imperial. Com isso, uma jovem fica angustiada ao ver seu velho e doente pai ser convocado, por ser o único homem da família. Ele precisa ir, mesmo sabendo que certamente morrerá, para manter a honra da família. Assim, sua filha rouba sua armadura e espada, se disfarça de homem e se apresenta no lugar do pai, mas os espíritos dos ancestrais decidem protegê-la e ordenam a um dragão, que havia caído em desgraça, que convença a jovem a abandonar seu plano. Ele concorda, mas quando conhece a jovem descobre que ela não pode ter dissuadida e, assim, decide ajudá-la a cumprir sua perigosa missão de ir para a guerra e voltar viva. Uma curiosidade: quando Mulan canta a música "Reflection" no templo de seu pai, seu reflexo aparece na superfície polida das pedras do local. As palavras escritas nestas pedras são os nomes dos animadores da Disney que trabalharam na película, só que escritos em chinês arcaico. Uma graça de animação, confira o trailer!

12 de outubro de 2017

Home on the Range


"Home on the Range" ou "Nem que a vaca tussa" (2004) é uma boa pedida para o Dia das Crianças. Apesar de simples, a história dessa animação é repleta de emoções. A narrativa tem ritmo e a ideia original é bem criativa. Sem falar que a trilha sonora é contagiante. Na história, a fazenda Caminho do Paraíso está em pânico, pois uma ação de despejo ameaça acabar com o local. Temendo ir para o matadouro, os animais da fazenda decidem ajudar a dona a conseguir a quantia necessária para pagar a hipoteca. O alvo escolhido pelo grupo é o perigoso bandido Alameda Slim, que tem uma grande recompensa reservada para quem capturá-lo. Como curiosidade: Fernanda Montenegro, Cláudia Rodrigues e Isabela Garcia emprestam suas vozes para as três vaquinhas da trama. Confira o trailer!

11 de outubro de 2017

Dadesordemquenãoandasó

Foto: Renato Peixoto

No dia 16 de outubro reestreia na Oficina Cultural Oswald de Andrade o espetáculo "Dadesordemquenãoandasó" com direção de Carlos Baldim. A peça foi contemplada pelo edital do Prêmio Zé Renato. Davey Anderson oferece uma dramaturgia contemporânea, que instigou uma encenação que a acompanhasse nessa experimentação de linguagem, propondo a mistura de elementos épicos e dramáticos, e utilizando o espaço cênico com uma mescla de teatro e cinema. Na narrativa, a história de uma família de classe média. Por causa da ausência do marido, Maureen trabalha em diversos lugares e não tem tempo para cuidar dos filhos. Stevie, portador da síndrome de aspenger, é deixado sozinho no seu quarto ao seu próprio cuidado, enquanto sua irmã, a adolescente Julie, faz tentativas desastradas de entrar no mundo adulto. Julie resolve sair escondida descumprindo o combinado com sua mãe. Preocupado com o paradeiro da irmã, Stevie resolve procurá-la e acaba indo parar no Parque de Diversões e sem intenção acaba causando um grande acidente: ele acredita ter se tornado um assassino. A partir daí, inicia-se uma história permeada de encontros e desencontros que mistura ficção, realidade e poesia, na qual Stevie procura compreender, solitário, as consequências dessa intensa e inesquecível aventura. A temporada acontece todas as segundas e terças às 20h e os ingressos são gratuitos.

10 de outubro de 2017

Colegas no Teatro

Foto: João Caldas Filho

Vencedor de vários prêmios no Festival de Gramado, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e no Festival de Toronto (Canadá), "Colegas", de Marcelo Galvão, cria uma discussão sobre a vida de pessoas com Síndrome de Down e a inclusão, sem ser melodramático, didático ou piegas. A versão teatral da obra, intitulada "Colegas no Teatro" volta a discutir as ideias de normalidade e diferença. Essas noções não seriam apenas uma questão de ponto de vista? A trama, que estreia no dia 13 de outubro, narra a saga de três amigos cinéfilos, Márcio (João Simões Junior), Stallone (Ian Pereira) e Aninha (Giulia Merigo), que trabalham na videoteca do instituto onde moram. Certo dia, decidem fugir da instituição para tentar realizar seus sonhos, conhecer o mundo e sair do tédio daquele cotidiano em que vivem. Stallone quer ver o mar; Aninha, casar; e Márcio, voar. O elenco é completado por Daniel Dottori e Adriana Mendonça que se revezam em diferentes papéis,  além de Ricardo Côrte Real, que interpreta o jardineiro do Instituto, Arlindo. A comédia explora de forma poética como a felicidade pode ser encontrada nas coisas simples da vida. Os três protagonistas, originalmente interpretados por Ariel Goldenberg (ganhador do prêmio de melhor ator no Festival de Toronto), Rita Pook e Breno Viola, são vividos respectivamente por: Ian Pereira, Giulia Merigo e João Simões Junior na versão teatral. A peça estreia no Auditório do MASP (Avenida Paulista, 1578) e fica até o dia 10 de dezembro, sextas e sábados às 21h e domingo as 20h.

9 de outubro de 2017

A Taieira de Sergipe


O livro "A Taieira de Sergipe", de Beatriz Góis Dantas é um estudo esmiuçado e em sua totalidade sobre uma dança folclórica da região nordeste e, mais especificamente, do estado de Sergipe. O termo Taieira aparece em diferentes grafias e sentidos. Pode ser um fato ou grupo folclórico, bem como apenas uma indicação para denominar as dançarinas que integram tal festejo. O texto é de 1972 e revela o fenômeno cultural com certo requinte de detalhes, desde os cantos, posições e dinâmicas das danças, bem como seus personagens e participantes. A pesquisa foi realizada durante vários meses no interior de Sergipe. Talvez esta seja a primeira obra com tanta minuciosidade. Sabe-se que, até esta publicação, os folcloristas brasileiros sempre trataram o assunto através de breves referências. Desconheço outra obra que o faça. A autora tem ritmo em seu texto e, a cada linha lida, temos vontade de terminar logo a obra. É bom que se diga que todo curioso voraz não deve se ater apenas aos best sellers, por isto a dica deste livro. Interessantíssimo!

6 de outubro de 2017

Eastern Promises


O suspense "Eastern Promises" ou "Senhores do crime" (2007) é perfeitamente delineado no que tange a sua história. A direção é pura expectativa. O roteiro é bem estruturado e os podres da máfia caminham ao lado de uma figura de uma figura maioral inconfiável, mas que surpreende ao defender a sua família. As peças do quebra-cabeça se encaixam entre pistas e recompensas de forma peculiar. Na narrativa, Anna (Naomi Watts) é uma parteira que trabalha em um hospital de Londres. Um dia ela testemunha a morte de uma jovem, durante um parto realizado em pleno Natal. Ela decide dar a notícia de seu falecimento pessoalmente, o que a faz pesquisar sobre sua identidade e família. A busca acaba colocando-a em contato com o lucrativo tráfico do sexo, comandado por uma organização criminosa da Rússia. Logo Anna conhece Nikolai (Viggo Mortensen), um homem violento e misterioso que é mais do que aparenta. Assista o trailer!

5 de outubro de 2017

Pedaço de mim

Foto:Renata Fontana e Drica Fontana

"Pedaço de mim" estreia no Teatro Augusta em 7 de outubro. Na narrativa, uma mulher com Transtorno Borderline, que teve uma de suas pernas amputada, conversa com o público sobre questões de seu cotidiano. Ela só encontra alívio para sua dor emocional por meio da dor física. A dramaturgia adota esse transtorno psiquiátrico para criar uma reflexão sobre os movimentos autodestrutivos e autopunitivos do ser humano em diferentes níveis, da automutilação dos distúrbios psiquiátricos às situações comuns praticadas por todos nós. “Pedaço de Mim”, de Bernardo de Gregorio, estreia no Teatro Augusta que fica na Rua Augusta, 943 - Cerqueira César. A peça ficará em cartaz até o dia 3 de dezembro, aos sábados, às 21h; e aos domingos, às 19h.

4 de outubro de 2017

A Menina Índigo


A história da película brasileira "A Menina Índigo" (2017) além de belíssima, é sensível, mesmo para uma trama simples. A narrativa é bem estruturada, os diálogos são assertivos e o roteiro é bem costurado. Há claras pistas e recompensas alinhadas ao contexto. O tema abordado é claro e não deixa margem de dúvidas como adentra o coração dos mais desavisados. A narrativa tem brilho e é, ao mesmo tempo, despretensiosa. Um luxo! Não temos como deixar de notar a delicadeza na fotografia com suas cores que conquistam com, digamos, certa primazia. A direção é criativa e comprova cada vez mais a competência de Wagner de Assis no cenário nacional e internacional. A atuação de Letícia Braga conquista. Murilo Rosa cresce seu personagem perceptivelmente no filme, qualidade de bons atores. Na trama, diferente das outras crianças, Sofia descobre em meio as suas habilidades de pintar o dom de conseguir curar doenças. A notícia acaba se espalhando e chega nas mãos de uma jornalista sensacionalista. Para proteger a garota, seus pais separados precisam se unir. O filme vale à pena ser assistido! Em meio a tantas notícias ruins que nos chegam diariamente, a película é um sopro de esperança para nossas almas. Os mais sensitivos sairão de lá, certamente, desnorteados com tamanha beleza fílmica. Confira o trailer!



A Vida em Vermelho

Foto: Flávia Canavarro

Texto inédito de Aimar Labaki, “A Vida em Vermelho” imagina encontro entre Bertolt Brecht e Edith Piaf. No elenco: Letícia Sabatella e Fernando Alves Pinto. Dirigido por Bruno Perillo, o espetáculo estreia em 6 de outubro no Sesc Santo André e dia 10 de novembro no Sesc Santo Amaro. Dois dos maiores artistas do século 20, a cantora francesa Edith Piaf (1915-1963) e o poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956) conversam sobre suas vidas, obras, anseios, angústias, medos, sonhos e realizações. Esse improvável encontro traz à tona um potente embate entre duas ideologias e visões de mundo radicalmente opostas. O encontro é usado para evocar uma série de temas importantes tanto para o Brasil como para o mundo contemporâneo. Letícia Sabatella e Fernando Alves Pinto interpretam os protagonistas e outros personagens que vão invadindo a ação. O espetáculo acontece no Sesc Santo André, de 6 a 22 de Outubro, às sextas, às 21h. Sábados, às 20h. Domingo, às 19h. 

3 de outubro de 2017

Bug Chaser

Foto: Alice Jardim

Reestreia amanhã o espetáculo "Bug Chaser" no Teatro do Núcleo Experimental. A Cia. Artera de Teatro discute a relação entre o risco e prazer com a prática do barebacking (sexo sem preservativo) e bugchasing (quando um homem saudável procura, deliberadamente, ter relações sexuais outro homem com HIV positivo para ser infectado). A peça gira em torno de Mark (interpretado por Ricardo Corrêa – que também assina a dramaturgia). Na narrativa, Mark está em uma quarentena sendo analisado por uma voz, um programa de inteligência artificial. Em fragmentos e saltos atemporais, a peça conta a saga desse homem, um advogado criminalista que busca se infectar propositalmente, uma subcultura pouco discutida na comunidade LGBT contemporânea. O Teatro do Núcleo Experimental fica na Rua Barra Funda, 637. A temporada fica até o dia 30 de novembro – quartas e quintas às 21h.

2 de outubro de 2017

Gatos


"Gatos", de Marty Becker e Gina Spadafori, é um livro, digamos, recomendável para tutores de felinos iniciantes na nobre jornada, repleta de amor, ou ainda para àqueles que estão pensando em adotar um desses bichanos conquistadores. As perguntas são óbvias e rasas para àqueles que já convivem com tais peludos, contudo, é sempre informação. Nenhuma extremamente preciosa para estes últimos citados. A leitura é clara e acessível a todos, além de, por vezes, ter um toque de humor aqui e acolá. O que deixa o livro extremamente agradável em suas entrelinhas. Na proposta do exemplar, os autores apresentam 101 perguntas sobre os gatos: curiosidades, informações veterinárias, mitos e verdades. Por que os olhos dos gatos brilham à noite? Os gatos sempre caem de pé? Por que a íris do gato se contrai na vertical? Os gatos precisam tomar banho? Cães e gatos são realmente inimigos mortais? Os gatos só ronronam quando estão felizes? Os gatos podem andar presos a coleiras, como os cães? Podemos ensinar um gato a fazer truques e piruetas? 

29 de setembro de 2017

La Princesse de Montpensier


A película "La Princesse de Montpensier" ou "A princesa de Montpensier" (2010) certamente prende a atenção da audiência, inclusive pela trajetória proposta romântica da época. É bem dirigido, tem diálogos primorosos e uma fotografia primorosa. Na narrativa, ano de 1562, a Franca sob o reinado de Charles IX, enfrenta o furor das guerras religiosas. Marie de Mézières, uma das herdeiras mais ricas do reino, ama o jovem Duque de Guise, que a história denominará mais tarde "O Acutilado". Ela crê ser amada reciprocamente por ele. O seu pai, o Marquês de Mézières, preocupado em elevar a sua família, constrange-a a desposas o Principe de Montpensier que ela nunca viu. Este último é convocado por Charles IX a juntar-se aos príncipes na guerra contra os protestantes. O país estando a fogo e sangue, o príncipe, a fim de proteger a sua jovem esposa, envia-a em companhia do Conde de Chabannes para um dos seus castelos mais recuados, Champigny. Ele encarrega o conde, seu antigo preceptor e amigo, de perfazer a educação da jovem princesa para que ela possa um dia apresentar-se na corte. Insatisfeita, Marie tenta esquecer a viva paixão que nela continua latente por Guise. O caso da vida e a guerra farão com que Guise e o duque de Anjou, futuro Henri III, se alojem no castelo ao mesmo tempo que Montpensier chega a Champigny. Anjour apaixona-se por sua vez pela princesa de quem Chabannes também se enamora. O final é, certamente, inusitado! Confira o trailer.

28 de setembro de 2017

Se Existe Eu Ainda Não Encontrei

Foto: Priscila Prade

"Se Existe Eu Ainda Não Encontrei", do inglês Nick Payne, retrata, de forma bem humorada e emocionante, a falta de comunicação entre uma família. Com Helena Ranaldi, Leopoldo Pacheco, Luciano Gatti e Lyv Ziese, espetáculo dirigido por Daniel Alvim estreia no Teatro Eva Herz, no dia 30 de setembro. No espetáculo, os personagens viscerais mostram como as pessoas, mesmo que estejam preocupadas em salvar a humanidade, encontram subterfúgios para fugir dos problemas íntimos na própria casa. Nesse contexto, os filhos são muitas vezes negligenciados por seus pais. É o que acontece com a adolescente Anna, que está acima do peso e, por isso, tem sofrido  com o bullying de seus colegas de classe. Ignorada pelos pais, ela caminha, de decepção em decepção, para a beira do abismo. Enquanto a filha enfrenta os desafios dessa turbulenta fase da vida, o ambientalista George está obsessivamente envolvido com seu livro sobre as emissões de carbono na atmosfera. Já sua mulher Fiona usa seu novo musical, que está prestes a estrear na escola, como pretexto para fugir das questões conjugais e da doença degenerativa de sua mãe. O cotidiano aparentemente simples desse pequeno núcleo evoca, no entanto, uma série de temas contemporâneos relevantes, como sustentabilidade, bullying, incomunicabilidade e aquecimento global, que são discutidos com um tom dramático, mas temperado com o conhecido humor britânico. O espetáculo estreia no Teatro Eva Herz que fica na Av. Paulista, 2073 - Cequeira César. A temporada apresenta-se até o dia 10 de dezembro, sábados às 21h e domingos às 19h.

27 de setembro de 2017

Scavengers

Foto: Alexandre Reia

O espetáculo "Scavengers" narra jornada de um homem falido em busca de uma saída. Com direção de Francisco Medeiros, o espetáculo comemora os 15 anos da Cia. Artera de Teatro. Montagem inédita da peça do escocês Davey Anderson estreia no Centro Cultural São Paulo, no dia 29 de setembro. O que é preciso para um cidadão excluído sobreviver à crise das instituições? Esse é o ponto de partida de "Scavengers". Como esse texto exigia um diretor capaz de fazer provocações sobre a escuta de si, do outro, dos entornos e das relações em sociedade. O elenco é composto pelos atores Ricardo Corrêa, Davi Reis, ambos da Cia. Artera, e dos convidados Fani Feldman, Gabriela Rabelo e Rogério Brito. A trama narra a saga de Michael Findlater, um homem em colapso financeiro que decide forjar sua morte, abandonar sua vida antiga e virar um andarilho até encontrar uma outra forma de viver. Dessa maneira, ele pretende se reinventar. Na sociedade do consumo, as vontades individuais se sobressaem aos interesses coletivos e pequenos grupos à margem se unem como um coro de sobreviventes. O protagonista é uma metáfora para um país em crise e ao mesmo tempo a metáfora da incansável busca pela sobrevivência e pela felicidade. Como a peça foi escrita para a realidade escocesa, foram estabelecidos novos pontos de comparação com o contexto e os problemas brasileiros. A encenação lança um olhar sobre a cidade de São Paulo, seus excluídos, esconderijos, movimentos e sons. A poesia surge das relações dos artistas com o entorno e com as paisagens urbanas e grotescas da pobreza. O espetáculo foi contemplado na 5ª edição do Prêmio Zé Renato de apoio à produção e desenvolvimento da atividade teatral para a cidade de São Paulo. A temporada se apresenta no Centro Cultural São Paulo (CCSP) - Rua Vergueiro, 1.000, Paraíso - até o dia 5 de novembro, às sextas e aos sábados, às 21h; e aos domingos, às 20h.

26 de setembro de 2017

A Metamorfose

Foto: Júnior Cecon

Com concepção, direção e coreografia de Sandro Borelli, "A Metamorfose" reestreia dia 28 de setembro no Kasulo Espaço de Cultura e Arte, em São Paulo. "A Metamorfose", de Franz Kafka, conta a história de Gregor Samsa, um caixeiro viajante que depois de sonhos intranquilos, acorda metamorfoseado em um escaravelho, tornando-se assim o "objeto" de desgraça e vergonha de sua família, um estranho rejeitado pelos seus pares em sua própria casa, sendo lançado a sentimentos terríveis de inadequação, culpa e isolamento. Através do corpo que dança, o espetáculo apresenta os limites do flagelo e das torturas psíquicas, emocionais e físicas que os sistemas políticos de governo imprimem ao homem comum. A coreografia procura reproduzir a tensão asfixiante e opressiva da obra de Kafka, que coloca o cidadão em um único destino possível - o caminho de ida, sem qualquer possibilidade de retorno. A vida encaixotada no seu devido lugar, o da insignificância absoluta. A temporada vai até o dia 15 de outubro, quinta e sábado às 21h e domingos às 19h, no Kasulo Espaço de Cultura e Arte que fica na Rua Sousa Lima, 300.

25 de setembro de 2017

Paz na Terra aos homens de botequim


Paulo Pellota desenvolve uma escrita com muita maestria e humor refinado no livro "Paz na Terra aos homens de botequim". O livro traz crônicas e histórias curtas sobre bares e botequins. Criatividade e verossimilhança de sobra em cada texto. Ele vai seduzindo aos poucos, como quem não quer nada, e quando o leitor se dá conta, já está lá, dentro de um bar, bebendo ou rindo com as tramas. Os papos de botecos não tem censura e o leitor, em algum momento, sente afinidade com as histórias. A função social do bar é justamente liberar os espíritos e fazer aflorar as identidades a fim de facilitar a conversa. Os temas vão surgindo naturalmente e vai-se falando de tudo um pouco. Importantes decisões sobre os destinos da humanidade são tomadas. Política, futebol, discos voadores, o melhor chopp da cidade, tudo é discutido. Uma delícia de leitura!

22 de setembro de 2017

A floresta que se move


Além de belas locações e produção criteriosa, o drama brasileiro "A floresta que se move" (2015) tem uma boa direção de arte. Há o clima de mistério e suspense, fruto de uma boa direção, mas a adaptação da história para os dias atuais em si não convence. Na narrativa, Elias (Gabriel Braga Nunes) é um bem sucedido empresário do segundo maior banco do Brasil. Seu destino muda no momento em que ele encontra uma misteriosa flautista que se diz vidente. Ela afirma que, naquele dia, ele se tornará vice-presidente e que, no dia seguinte, o homem seria presidente do banco. Quando ele conta a história para sua esposa, a ambiciosa Clara (Ana Paula Arósio), ela sugere que o casal convide o presidente do banco para jantar em casa naquela noite, para que o marido suba de posição na empresa. Só que o plano arquitetado por Clara culminará em uma série de assassinatos, em uma busca desenfreada por poder. A película é livremente inspirada em Macbeth, de William Shakespeare. Confira o trailer!



21 de setembro de 2017

Do Outro Lado

Foto: Miriã Brasil

Vanessa Gerbelli e Alessandra Verney cantam os desejos e memórias dentro da prisão na peça "Do Outro Lado". Com direção de Patrícia Pinho e participação especial e direção musical do pianista Miguel Briamonte, espetáculo cumpre sua temporada de estreia no Teatro Porto Seguro, entre 27 de setembro e 26 de outubro. O musical se passa no pátio de uma prisão fictícia, onde duas mulheres e um pianista (Miguel Briamonte) fazem um espetáculo em homenagem a uma colega falecida há uma semana. Silmara (Vanessa Gerbelli) está pagando por um crime que diz não ter cometido e a cantora e musicista Diana (Alessandra Verney) é acusada pelo marido de tentativa de assassinato. A peça, além de dramatizar as memórias, desejos e projeções das duas personagens, conta a amizade improvável que floresce entre elas em condições de escassez e solidão. A prisão é retratada metaforicamente pelo diretor de arte Gringo Cardia, que criou uma instalação em formato de um imenso coração e de um cadeado. A encenação procura evocar com sutileza a delicadeza e a paixão das almas femininas. O Teatro Porto Seguro fica na Alameda Barão de Piracicaba, 740 - Campos Elíseos. A temporada acontece todas às quartas e quintas-feiras, sempre às 21h.

20 de setembro de 2017

Duo Cerri-Botelho e o Coral da Cultura Inglesa


No dia 23 de setembro, às 20h, o Centro de Música Brasileira (CMB) apresenta o Duo Cerri-Botelho e o Coral da Cultura Inglesa. O duo é formado por Sérgio Cerri na flauta e Flávia Botelho ao piano. A regência do coral é de Marcos Júlio Sergl. No repertório obras de Brenno Blauth, Ernani Aguiar, Fernando Cupertino, Francisco Braga, Francisco Mignone, Guerra-Peixe, Humberto Teixeira, Luiz Gonzaga, Pattapio Silva, Osvaldo Lacerda, Radamés Gnattali e Villani-Côrtes. O Duo Cerri-Botelho vem de Ribeirão Preto e existe desde 1999 e o Coral da Cultura Inglesa tocará principalmente obras sacras. Há 23 anos o Maestro Marcos Júlio Sergl é regente do coro. A Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico fica na Rua Ferreira de Araújo, 741 - Pinheiros. O evento é gratuito!

19 de setembro de 2017

Imortais e O Testamento de Maria

Foto: João Caldas Filho

Dama do teatro brasileiro atual, Denise Weinberg faz novas temporadas de "Imortais" e "O Testamento de Maria" no Teatro Aliança Francesa a partir do dia 22 de setembro. Contemporâneo e tradicional, vida e morte, liberdade e moral, masculino e feminino entram radicalmente em choque na peça "Imortais", com texto de Newton Moreno e direção de Inez Viana. Esses conflitos servem para criar uma reflexão sobre a noção de pertencimento e sobre quais aspectos da experiência humana são capazes de tornar um indivíduo imortal. A trama narra o reencontro entre uma mãe extremamente apegada às tradições e uma filha que não se ajustou ao modo de vida de sua casa, fugiu precocemente e, desde então, nunca mais falou com a família. Doente e desenganada, a matriarca amargurada decide se mudar para o cemitério onde o marido e a outra filha estão enterrados, com a última esperança de que alguém apareça para realizar a coberta de sua alma.

Foto: João Caldas Filho

Já o solo "O Testamento de Maria", com direção e adaptação de Ron Daniels, é inspirado no livro homônimo do escritor irlandês ColmTóibin, que também escreveu o bestseller “Brooklyn”, cuja adaptação para cinema foi indicada ao Oscar 2016 em três categorias. A montagem revela como Maria, a mãe de Jesus Cristo, procura desvendar os mistérios ao redor da crucificação de seu filho. Perseguida e exilada, ela narra a sua trajetória e todo o seu sofrimento com uma voz carregada de ternura, ironia e raiva. Maria se propõe a falar apenas a verdade sobre a enorme crueldade dos romanos e anciãos judeus. A ideia da encenação é destacar não apenas a importância religiosa de Maria, mas revelá-la como uma figura de enorme estatura moral. A montagem rendeu à Denise Weinberg o prêmio APCA 2016 (Associação Paulista de Críticos de Arte), na categoria de melhor atriz. O Teatro Aliança Francesa fica na Rua General Jardim, 182 - Vila Buarque.

18 de setembro de 2017

P 32 Vôo para o infinito


Do ano de 1976, o livro "P32 Vôo para o infinito", de Clark Darlton é muito atual. O livro aborda o tema da imortalidade e eternidade no ambiente da ficção científica, mas sem se aprofundar muito na tônica. O texto é claro e de rápida leitura, convence em seus propósitos. Considerando que foi escrito na década de 70, o leitor, com um pouco mais de conhecimento em física quântica, ficará perplexo com tantas coincidências na instrução e falas apresentadas no decorrer da história. Na trama, Perry Rhodan, o chefe de um potente Estado terrestre, se deparou com um perigoso inimigo, os saltadores. Além de possuir tecnologia equivalente à Rhodan, os saltadores possuem uma concepção de comércio que não admite a concorrência; e por isso planejam atacar a Terra. Só resta a Rhodan pedir auxílio ao imortal, e para isso parte em seu vôo para o infinito.

15 de setembro de 2017

99 Homes


O drama americano "99 Homes" ou "99 Casas" (2016) já começa tenso, como uma porrada no estomago. O dilema do protagonista é forte e bem trabalhado na narrativa. A trilha sonora é desconcertante, viva e pulsa como toda a obra. Há um bom desfecho para a história. A atuação de Andrew Garfield é impecável. Na história, Dennis Nash (Andrew Garfield) perdeu a sua casa por conta da hipoteca e teve que se mudar para um pobre hotel com sua mãe (Laura Dern) e seu filho pequeno. Desesperado para reaver seu lar, ele aceita trabalhar com o imoral agente imobiliário Rick Carver (Michael Shannon), que foi a pessoa responsável pela sua perda. Logo, ele tem que ajudar Carver a expulsar outras pessoas e a desviar dinheiro do governo. Enquanto seus problemas financeiros desaparecem, a consciência de Nash passa a atormentá-lo. Confira o trailer!



14 de setembro de 2017

Não Somos Amigas

Foto: Ligia Jardim

O espetáculo "Não Somos Amigas" reestreia no Teatro Sérgio Cardoso dia 16 de setembro. A peça desafia o público a desvendar a relação entre duas mulheres que discutem em um apartamento perto do aeroporto.  É um labirinto retórico onde amor e ódio se revezam, colocando à prova nossas certezas sobre o significado do amor incondicional. Afinal, quem são elas, por que estão ali e o que realmente está acontecendo? De Michelle Ferreira, a peça tem direção de Maria Maya e o elenco é formado por Lulu Pavarin e Sabrina Greve. Depois de mais de dez textos escritos e encenados, no Brasil e no exterior, Michelle Ferreira inaugura uma nova fase do seu trabalho: a escalada irracional. “O irracional nos guia mais, não necessariamente melhor, mas bem mais do que o racional. Temos que admitir que a racionalidade não é uma grande coisa e nem nos levou a um lugar tão elevado. Muitas vezes desprezamos o corpo e suas sensações, e somos domesticados por primícias que nem se quer acreditamos. O espetáculo é que fala da vida e da morte, emociona o público e o leva à reflexão. É um tratado de memória, de conflito e de amor, com o qual é possível dialogar com as sensações de quem assiste”. O Teatro Sérgio Cardoso fica na Rua Rui Barbosa, 153. O espetáculo apresenta-se todos os sábados e segundas às 20h; domingos às 19h30. 

13 de setembro de 2017

A Gente Submersa


O Teatro do Incêndio inaugura sua nova sede, no Bixiga, no dia 16 de setembro, às 20h com a estreia do espetáculo "A Gente Submersa", que tem texto e direção assinados por Marcelo Marcus Fonseca. Esta é a primeira parte do trabalho de pesquisa do grupo sobre heranças e descaracterização da cultura e da sabedoria popular, pelo esquecimento das raízes que moldaram o ser brasileiro. A montagem explora o que resta no cotidiano das pessoas dos ensinamentos populares, bem como da função social da dança e das festas tradicionais. Segundo o diretor, “em cena está a comida típica, o encontro, a música, a fé, o sincretismo. São elementos de celebração que se perdem no íntimo de pessoas que se ‘afogam’ nas cidades, imersas no conflito de viver ou cumprir a existência de forma burocrática”. No enredo, vagando por um mundo apático, Lourdes (Gabriela Morato), Benedito Messias (Anderson Negreiro) e Fulozina (Elena Vago) são espíritos do interior do Brasil atrás de pessoas que os enxergue, enquanto distribuem afeto como trabalho. No caminho encontram uma comunidade formada por pessoas expulsas do convívio social, que resolvem levar a vida em festa. Aos poucos o sonho sucumbe à realidade. O espetáculo acontece no Teatro do Incêndio que fica na Rua Treze de Maio, 48 – Bela Vista/SP. A temporada acontecerá até o dia 10/12, sábados (às 20h) e domingos (às 19h).

12 de setembro de 2017

Cerbera

Foto: Divulgação

Com direção de Elias Andreato, o espetáculo "Cerbera" estreia no Espaço Parlapatões no dia 14 de setembro. Na peça, Martin e Cecília estudam na mesma escola e são muito amigos. Ele acredita que ela é  a única capaz de solucionar seus problemas. A mãe de Martin é alcoólatra e vítima da violência de um companheiro incontrolável. Além disso, sua professora de piano abusa sexualmente dele. A peça tem uma narrativa fragmentada em vários tempos e espaços para retratar diferentes tipos de morte - de gênero, de sexo e de ideais. A encenação faz dura crítica à classe média atual, que prefere esconder suas doenças a lidar com elas. Uma classe média sem coragem de assumir suas doenças esconde sua perversão atrás de discursos libertários. Esse é o mote de "Cerbera", que encerra a trilogia de peças escritas pela atriz e dramaturga Carol Rainatto, ainda composta pelos espetáculos “Oito Balas” (2016) e “Meia-Noite, Feliz Natal” (2016). Com direção de Elias Andreato, o novo trabalho adota uma narrativa fragmentada em vários tempos, espaços e sensações para abordar diversas formas de morte (de gênero, sexo ou ideais). O enredo narra a história dos amigos Martin e Cecília, que estudam no mesmo colégio. Ele acredita que a amiga é a solução para todos os seus problemas. O Espaço Parlapatões fica na Praça Franklin Roosevelt, 158, Consolação. A temporada vai até o dia 27 de outubro, todas às quintas e sextas-feiras, sempre às 20h.

11 de setembro de 2017

Longe é um lugar que não existe


De Richard Bach, o livro "Longe é um lugar que não existe" tem uma singeleza e poesia única, apesar de sua história simples. Aliás, acredito que justamente pela sua modéstia na escrita há muito mais que se descobrir nas entrelinhas da narrativa do que o leitor possa imaginar. Foi ótimo poder reler este clássico da literatura mundial. Na sinopse, há muito tempo, Rae Hansen, uma menina às vésperas de seus cinco anos, convida o amigo Richard Bach para sua festa de aniversário. Confiante, ela o espera, apesar de saber que sua casa ficava além de desertos, tempestades e montanhas. Esta história narra como Richard Bach chega até lá e o presente que ele dá para Rae.

8 de setembro de 2017

Rien ne va plus


A película francesa "Rien ne va plus" (1997) apresenta para a audiência personagens carismáticos mesmo em suas sutilezas. Dilemas e conflitos crescem de forma rigorosa e cadente até o climax. Tem uma bela fotografia e uma direção interessante. Na história há um certo suspense no relacionamento da dupla que gera dúvida na audiência. Na trama, Betty (Isabelle Huppert) e Victor (Michel Serrault) formam um casal de trapaceiros que vive de golpes realizados com vítimas cuidadosamente escolhidas. No ano anterior, Betty mantinha um relacionamento com um homem que fazia lavagem de dinheiro. Agora, seu plano é acompanhá-lo na próxima missão e fugir com a mala recheada de francos suíços. Mas as coisas não acontecem exatamente como planejadas. Confira o trailer!

7 de setembro de 2017

Amarelo Distante

Foto: Heloisa Bortz

Baseado em contos de Caio Fernando Abreu, o espetáculo solo "Amarelo Distante" reestreia dia 9 de setembro e faz temporada gratuita no TUSP. Baseado em dois contos do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu (“Lixo e purpurina” e “Anotações sobre um amor urbano”), o espetáculo fala de descobertas, solidão e dor através da história de um jovem e suas experiências em terras estrangeiras.  Nos anos 70, Caio F. se exilou em Londres, onde se deparou com a solidão, a sensação de estrangeirismo, a precariedade em decorrência da falta de dinheiro, sentimentos ambíguos e saudosos do Brasil, da família e dos amores do passado, do presente e possivelmente do futuro. A partir dessas angústias ele escreveu um diário (o conto “Lixo e purpurina”), mistura de ficção e realidade, que é o fio condutor desta história. Não apenas para potencializar uma peça cujo motor principal é a palavra, mas também buscando expressar no palco a miséria, tanto emocional quanto material, a que é submetido o personagem da peça, foi criada uma encenação minimalista, centrada no trabalho do ator. Sem ações ou gestos cotidianos, passando ao largo do realismo, o espetáculo cria imagens que tentam reproduzir o universo mental do personagem, enquanto narra e revivifica o tempo passado no exílio. Com uma iluminação escura, trabalhando sobre contrastes e criando uma atmosfera brumosa, o palco foi sendo despido dos elementos do cenário criado inicialmente, até chegar ao completo esvaziamento do espaço cênico, apostando, assim, no essencial: o trabalho do ator, ressignificando a palavra dita e materializando-a espacialmente em seu corpo. O TUSP – Teatro da Universidade de São Paulo fica na Rua Maria Antônia, 294/SP. O espetáculo fica até o dia 01 de outubro com apresentações aos sábados às 20h e domingos às 18h.

6 de setembro de 2017

Pescadora de Ilusão

Foto: Deborah Schcolnic

Carol Badra e Mel Lisboa voltam em cartaz com o espetáculo infantil "Pescadora de Ilusão" no Teatro Morumbi Shopping dia 9 de setembro. Na narrativa, as personagens EU e TU são amigas inseparáveis. O que as une é o amor pelo teatro. Um dia, decidem sair em defesa da escritora Clarice Lispector que esqueceu-se de alimentar os peixinhos de seus filhos. Para conseguirem seu intento, montam um espetáculo pedindo para que os espectadores perdoem a “Pescadora de Ilusão”. A adaptação do texto e direção geral do espetáculo são de GpeteanH, tendo como seu assistente Arnaldo D'Ávila. Em um clima de mistério, diversão e interatividade com a plateia, as atrizes explicam a importância do perdão e a relação com as perdas, separações e até mesmo a morte, fazendo uma analogia, entre as diversas histórias que intercalam a trama, com a morte dos tais peixinhos vermelhos. A encenação utiliza objetos e adereços animados, concebidos pelo diretor de arte Marco Lima, que assina também o cenário e os figurinos. Estes objetos são “pescados” pelas atrizes ou surgem de forma inusitada para ajudá-las a contar essa história. O Teatro Morumbi Shopping fica na Av. Roque Petroni Júnior, 1089. A temporada acontece até 29/10, aos sábados e domingos, às 15h.

5 de setembro de 2017

Pedras Azuis

Foto: Leekyung Kim

Estreia no dia 6 de setembro o espetáculo "Pedras Azuis" que narra o drama de homem que precisa conhecer o limite de suas forças para sobreviver à aridez do sertão. Na sinopse, o sol inclemente castiga a cidade de Pedras Azuis, um lugar seco e triste no Sertão. No meio do agreste amarelo vivem poucas famílias que lutam para sobreviver à sede diária. Quando o caminhão pipa de Antero chega, carregado de água, uma vez por semana, todos os moradores do local correm para a praça com seus baldes na cabeça para coletar um pouquinho daquela vida líquida. Certo dia, a prefeitura decide comprar o próprio caminhão, e Antero perde o sustento de sua mulher Diana e de seus quatro filhos. Uma decisão extrema pode mudar a vida do lugarejo. O que ele deve fazer para se salvar? Qual é o limite? Até onde ele pode ir para mudar alguma coisa? O espetáculo acontecerá no Viga Espaço Cênico - Rua Capote Valente, 1323, Pinheiros/SP todas às quartas e quintas, às 21h, de 6 de setembro a 16 de outubro.

4 de setembro de 2017

Pollyanna


Apesar de alguns personagens clichês, o livro "Pollyanna", de Eleanor H. Porter, tem uma história concisa, mas muito bem estruturada. Alguns momentos são tocantes, trazendo uma certa dose de sensibilidade e pitadas de verossimilhança ao mundo da protagonista. A escrita é clara e adequada ao leitor-alvo. Não por menos, trata-se de um clássico da literatura infantojuvenil. Na narrativa, após ficar órfã aos 11 anos, Pollyanna vai morar com a sua amarga tia. Essa convivência, aparentemente impossível, vai transformar a vida de ambas e de todos à sua volta. Este livro, um dos mais traduzidos e adaptados romances do século XX, carrega a intensa mensagem positiva de que todas as coisas podem ser melhores, dependendo da forma como as olhamos. 

1 de setembro de 2017

Shall We Dance?


A comédia romântica "Shall we Dance?" ou "Dança comigo?" (2004) tem uma história sedutora com leves tons de humor. A narrativa é orgânica e cativa a audiência, não só pelos atores escolhidos, mas pela ideia original apresentada. O roteiro é bem estruturado e nele, a dança por si só provoca o espectador em seus movimentos, troca de olhares e todo um contexto do ambiente e mundo criado na trama. Na história, há vários anos o advogado John Clark (Richard Gere), especialista em testamentos, leva uma vida rotineira do trabalho para casa e de casa para o trabalho. Apesar de amar sua mulher, Beverly (Susan Sarandon), e seus filhos, John sente que algo está faltando algo em sua vida. Por acaso vê na janela de uma academia Paulina (Jennifer Lopez), uma bela professora de dança. Esperando se aproximar dela, John se matricula na academia. Paulina rapidamente elimina qualquer possibilidade de envolvimento com John, mas isto não o faz deixar de ir às aulas, pois ele acha cada vez mais relaxante e divertido dançar. Assista o trailer!


31 de agosto de 2017

Histórias de Alexandre

Foto: Divulgação

O Grupo 59 de Teatro apresenta, em setembro, o espetáculo infanto-juvenil "Histórias de Alexandre", a partir da obra de Graciliano Ramos, no Teatro Anchieta do Sesc Consolação. Com direção de Cristiane Paoli Quito, a temporada vai de 2 a 30 de setembro, aos sábados e feriado de 7 de setembro, às 11 horas. A peça reúne histórias e fanfarronices de um típico mentiroso do sertão, numa encenação recheada por canções inéditas. Publicado em 1944 por Graciliano, o livro, homônimo traz contos coletados na memória oral do folclore nordestino, resgatando crenças, costumes e mitos da região. Na transposição para o palco, foram selecionadas algumas histórias, respeitando e mantendo na íntegra as palavras do autor. Alexandre é um homem já velho; tem um olho torto e fala bonito: um típico contador de histórias. Está sempre acompanhado pelos moradores das redondezas e até por pessoas de consideração, que vem à sua modesta casa para ouvir as narrativas “fanhosas” que conta: Seu Libório, cantador de emboladas; o cego preto Firmino; mestre Gaudêncio Curandeiro, que reza contra mordedura de cobras; e Das Dores, benzedeira de quebranto. Cesária, mulher de Alexandre, está sempre por perto, e pronta para socorrer o marido quando ele se “engancha” ou é questionado em suas narrativas. Apropriando-se do universo linguístico e das imagens sugeridas por Graciliano Ramos, "Histórias de Alexandre" dá corpo e voz à palavra escrita, tecendo uma “colcha de retalhos” onde os atos de contar, cantar e dramatizar se entrecruzam e criam uma poética propícia à invocação da memória afetiva. O Teatro Anchieta fica no Sesc Consolação - Rua Dr. Vila Nova, 245 - Vila Buarque/ SP.

30 de agosto de 2017

Bull

Foto: João Caldas Filho

Espetáculo "Bull" discute o bullying no ambiente de trabalho e estreia dia 2 de setembro no Viga Espaço Cênico às 21hs. Com texto do dramaturgo inglês contemporâneo Mike Bartlett, a montagem que estreou e teve uma temporada de sucesso de público e crítica em 2014 no Tucarena, investiga a pressão psicológica no ambiente de trabalho, levantando questionamentos sobre os limites entre a ambição descontrolada e a busca irrefreável pelo sucesso. Cenograficamente a montagem opta pelo minimalismo. Com um cenário composto apenas de aparadores empresariais e dress code corporativo, a força da ação fica por conta dos conflitos das cenas e gestos dos atores que, no decorrer do espetáculo, transformam o escritório em um ringue de luta. Com um tom ácido e tragicômico, a montagem de fácil auto identificação aproxima-se de um hiperrealismo que beira o absurdo, construindo gradativamente um ambiente de violência e opressão que, acima de tudo, não julga seus personagens e busca apenas revelar os meandros de todo ser humano. O espetáculo fica até o dia 29 de outubro com apresentações aos sábados às 21h e domingos às 19h. O Viga Espaço Cênico fica na Rua Capote Valente, 1323 - Pinheiros/SP.

29 de agosto de 2017

Palavra de Stela

Foto: João Caldas Filho

Completando 50 anos de carreira, a atriz Cleide Queiroz reestreia solo, "Palavra de Stela", inspirado na vida e na obra poética de Stela do Patrocínio agora no Teatro do Núcleo Experimental. A dramaturgia e direção são de Elias Andreato. A peça faz temporada de 1 setembro a 29 de outubro. Nascida em 1941, Stela do Patrocínio foi internada no Centro Psiquiátrico Pedro II aos 21 anos, quando diagnosticada como psicopata e esquizofrênica. Quatro anos depois, foi transferida para a Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, onde permaneceu até sua morte em 1992. Durante seus anos de isolamento, Stela desenvolveu um discurso poético. Seu “falatório”, carregado de angústias, retrata a rotina manicomial e, sobretudo, revela sua visão da vida, do mundo e de si mesma. No espetáculo a personagem narra sua trajetória, expõe seu cotidiano e revela seu olhar de perplexidade diante da vida e dos seres humanos. “Por meio da fala de Stela do Patrocínio, pretendemos levar o espectador a uma reflexão acerca da visão que temos sobre loucura e lucidez, bem como chamar sua atenção para como a sociedade enxerga a diferença e lida com o outro”, diz Elias Andreato. O Teatro do Núcleo Experimental fica na Rua Barra Funda, 637 e o espetáculo acontece todas às sextas às 21h30, sábados às 21h, e domingos, às 19h.